'Me senti humilhado', diz motoboy agredido por dono de churrascaria em Manaus

Publicidade

'Me senti humilhado', diz motoboy agredido por dono de churrascaria em Manaus

Ao g1, Mizal de Oliveira contou que há três anos trabalha como entregador de aplicativo e que a atividade é a principal fonte de renda da sua família.

Por g1 AM

Entregadores fazem protesto após motoboy ser agredido por empresário em Manaus

Entregadores fazem protesto após motoboy ser agredido por empresário em Manaus

Um entregador de aplicativo foi agredido pelo dono de um restaurante em Manaus nesta terça-feira (13). O caso ganhou repercussão nas redes sociais e movimentou a categoria, que fez um protesto em frente ao estabelecimento do empresário (veja o vídeo acima).

Mizal de Oliveira tem 29 anos. Ao g1, ele contou que há três anos trabalha como entregador de aplicativo e que a atividade é a principal fonte de renda da sua família. No entanto, está com medo de voltar ao ofício por conta de novos episódios como esse.

"Me senti muito mal, humilhado, tenho um filho de seis anos que viu o vídeo. Isso dói. Hoje ele falou: 'papai, não vá trabalhar não, porque alguém pode querer bater no senhor'. A minha cabeça está a mil. Imagina uma criança de seis anos falar isso, pra você não sair pra buscar o sustento para a sua casa com medo de ser agredido".

Segundo Mizael, ele terminava uma entrega quando foi acionado pelo aplicativo para fazer outra. Ao chegar no restaurante, foi questionado da demora e logo os questionamentos se transformaram em agressões.

"Eu estava nas proximidades do Adrianópolis, tinha acabado de finalizar um pedido e apareceu uma entrega no estabelecimento e eu estava bem próximo, estava há três minutos do local, mas cheguei antes porque estava chovendo e não havia trânsito naquela localidade. Quando cheguei, informei o número do pedido e o dono do estabelecimento disse que o motoboy do restaurante tinha levado".

"Na hora eu questionei o porquê e ele veio com ignorância e começou a me agredir verbalmente, disse que estava esperando há mais de uma hora. Logo em seguida, ele tentou me dar um soco, mas eu me defendi com o braço. Ele tentou me chutar e eu corri para fora do estabelecimento", narrou.

Logo depois, o dono do restaurante saiu e tentou conversar com o entregador, que disse que levaria o caso à polícia: "Eu disse para ele que a gente só conversaria na delegacia ou diante de um juiz. Isso não pode acontecer, ninguém merece ser tratado assim".

O motoboy registrou um boletim de ocorrência contra o homem nesta quarta-feira (14). Segundo ele, a medida visa evitar com que outros trabalhadores sejam agredidos dessa mesma forma.

"Isso não pode acontecer. Esse senhor precisa saber que não pode tratar nenhuma pessoa assim. Tem áudios de outros motoboys relatando que já foram agredidos por esse mesmo homem. Independentemente do que a pessoa tem ou é ela precisa ser tratado com respeito".

Nas redes sociais, o dono do estabelecimento se pronunciou sobre o ocorrido. Ele pediu desculpas pela situação, que disse que serve de aprendizado para que nunca mais se repita.

"Estou aqui para pedir desculpas pelo ocorrido. Nosso estabelecimento sempre preza pelo bem estar dos clientes, amigos e parceiros [...] infelizmente aconteceu esse problema, que serve de aprendizado, e a gente se compromete que nunca mais vai acontecer", justificou.