Vacina bivalente para idosos na Policlínica da Funati, em Manaus. — Foto: Divulgação/Semsa
1 de 1 Vacina bivalente para idosos na Policlínica da Funati, em Manaus. — Foto: Divulgação/Semsa

Vacina bivalente para idosos na Policlínica da Funati, em Manaus. — Foto: Divulgação/Semsa

A vacina bivalente começou a ser ofertada na Policlínica da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade (Funati), localizada na avenida Brasil, no bairro Santo Antônio, Zona Oeste, nesta segunda-feira (6), no período das 8h às 12h.

O imunizante, liberado para sete grupos prioritários, dentre os quais idosos com 60 anos ou mais que tenham recebido o esquema primário completo, composto por duas doses iniciais, ou qualquer outra dose, no intervalo mínimo de quatro meses, está sendo ofertado em 55 unidades da Semsa.

A vacinação na unidade de saúde da Funati tem o objetivo de ampliar ainda mais o acesso ao imunizante, aproveitando o público circulante naquele espaço que é predominantemente de idosos.

“Ficamos muito felizes com o comprometimento que a população idosa está demonstrando com a própria saúde. Só neste primeiro dia, muitos vieram se vacinar. Que todos sigam o exemplo deles e se protejam dos sintomas graves da Covid”, disse a titular da Semsa, Shádia Fraxe.

O chefe do Núcleo de Imunização do Distrito de Saúde Oeste, Adamor Cavalcante, informa que a bivalente será ofertada na Funati até sexta-feira (10), no horário das 8h às 12h, e que no primeiro dia da programação, 86 idosos foram imunizados, um número razoável, que tende a aumentar conforme os dias forem passando.

A vacina bivalente, imunizante de segunda geração, reforça o sistema imunológico contra o vírus original da Covid e as subvariantes da Ômicron.

Além dos idosos com mais de 60 anos, o Ministério da Saúde liberou a vacina para gestantes e puérperas, indígenas aldeados, ribeirinhos, quilombolas, e pessoas que vivem ou trabalham em instituições de longa permanência, uma vez que estes grupos correm o risco de apresentar os sintomas mais graves de doença, daí a necessidade de priorizá-los de modo a preservar sua imunidade.

Documentação

Para receber a vacina bivalente é necessário levar o cartão de vacina, documento oficial com foto e o CPF ou Cartão Nacional de Saúde (CNS). Mas se o usuário não tiver o cartão, pode se vacinar apresentando o documento oficial com foto.

Dados do vacinômetro desta segunda-feira à tarde, apontam que 20.444 pessoas já haviam se protegido com a bivalente. O público estimado que está dentro das orientações do Programa Nacional de Imunização (PNI) é de 138 mil pessoas.