Café, tambaqui e cacau possuem selo de Indicação Geográfica — Foto: Divulgação
1 de 4 Café, tambaqui e cacau possuem selo de Indicação Geográfica — Foto: Divulgação

Para distinguir melhor a IG, o Inpi a divide em duas categorias: Indicação de Procedência (IP) e Denominação de Origem (DO).

tambaqui e o cacau conqusitaram a IG com Indicação de Procedência e o café conquistou a IG com Denominação de Origem.

O que é cada um deles?

No caso da IP, o Instituto explica que o selo é concedido a produtos ou serviços em que a região onde são produzidos se tornou conhecido como centro de produção, fabricação ou extração.

Já para os produtos ou serviços que recebem a DO, é devido a qualidade ou caracteristicas que se devam exclusivamente ou essencialmente ao meio geográfico.

Por exemplo: 🌤️ o café da região 'Matas de Rondônia' é produzido a partir de condições ambientais e climáticas exclusivas da região rondoniense, que somadas ao trabalho especializado no manejo do solo, proporcionam a alta qualidade do grão.

O que muda depois da conquista?

Uma das principais conquista a partir do selo, é a agregação de valor aos produtos.

🔝 Dessa forma, a venda dos produtos em larga escala será valorizado e consequentemente, o consumidor poderá consumir um produto de melhor qualidade.

Um exemplo disso é o cacau. Para que um bom chocolate seja feito e apreciado pelo consumidor, uma boa amêndoa deve ser cultivada. Ao g1, Marcileide Zirondi, analista do Sebrae, explicou que a conquista da IG é uma métrica para que o cacau seja produzido com excelência.

"Ele [consumidor] vai poder tá adquirindo um produto de qualidade da amêndoa do cacau. Então, quem for entregar produto de IG, que tem uma régua de corte que envolve a questão da fermentação, da secagem, já que tem todo um protocolo para que o produtor receba a IG. [O produtor] passa a vender ao mercado comprador, principalmente as empresas de comércio de chocolate, por um preço melhor", explicou.

Características exclusivas

Robusta Amazônico no Estande da Embrapa da RRS 2022 — Foto: Armando Júnior

O café foi o primeiro produto a receber o selo no estado. O pedido de reconhecimento foi protocolado pela Associação dos Cafeicultores da Região das Matas de Rondônia (Caferon).

🌱 Os robustas amazônicos são resultado do cruzamento dos cafés Conilon e Robusta especialmente selecionados. O relatório do Exame de Mérito do Inpi descreve o perfil sensorial do café como: doce, chocolate, amadeirado, frutado, especiaria, raiz e herbal.

Cultivo de tambaqui, em Rondônia. — Foto: Acripar/Divulgação

O tambaqui foi o segundo produto a receber o selo no estado. O pedido de reconhecimento foi protocolado pela Associação dos Criadores de Peixes do Estado de Rondônia (Acripar).

🎣 De acordo com o Inpi, o tambaqui criado em Rondônia "possui atributos similares aos existentes em ambiente natural, sendo um produto de carne branca, com textura tenra, firme, macia e suculenta, de sabor marcante e peculiar".

Cacau produzido na propriedade de Deoclides, em Jaru (RO) — Foto: Mikely Azevedo/Rede Amazônica

O cacau foi o terceiro produto a receber o selo. O pedido foi protocolado pela Associação dos Cacauicultores e Chocolateiros de Rondônia (Cacauron).

🍫 De acordo com o Inpi, o cacau produzido em Rondônia "possui sabor inconfundível e uma gordura de qualidade diferenciada para a produção de alimentos achocolatados de consistências e sabores diversos".