Praça Nossa Senhora dos Remédios  — Foto: Leandro Tapajós/G1 AM
1 de 1 Praça Nossa Senhora dos Remédios — Foto: Leandro Tapajós/G1 AM

Praça Nossa Senhora dos Remédios — Foto: Leandro Tapajós/G1 AM

A Prefeitura de Manaus encaminhou 12 projetos arquitetônicos e de engenharia para inscrições junto ao novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC), do Governo Federal. As inscrições ocorreram de 9 de outubro a 12 de novembro pela plataforma TransfereGov.

Os projetos foram enviados pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) e, segundo a prefeitura, fazem parte do programa amplo de revitalização do centro histórico da capital amazonense.

"São obras de infraestrutura, de resgate cultural, de recuperação de edificações, de execução de praças e que envolvem um circuito estruturado e sistematizado de intervenções que poderão e darão um novo patamar para o programa 'Nosso Centro', que já está em execução", disse o diretor-presidente do instituto, engenheiro Carlos Valente.

Os projetos apresentados pelo Implurb foram:

  • Museu do Porto;
  • Pinacoteca;
  • Palácio Rio Branco;
  • Rua Frei José dos Inocentes;
  • Praça IX de Novembro;
  • Praça Dom Bosco;
  • Reurbanização do entorno do Museu do Porto;
  • Reurbanização do entorno do mercado Adolpho Lisboa;
  • Praça XV de Novembro (Matriz) chafariz/relógio/paredão;
  • Basa;
  • Café Teatro;
  • Praça dos Remédios.

Os projetos enviados fazem parte de 27 eixos e envolvem os ministérios da Educação, Saúde, Cidades, Cultura, Esportes e Justiça e Segurança Pública. Um total de R$ 136 bilhões está reservado para as obras, sendo R$ 65 bilhões na primeira etapa e R$ 71 bilhões na segunda.

De acordo com prefeitura, o Governo Federal recebeu, ao todo, 35.213 propostas para o Novo PAC Seleções. Todos os Estados e 96% das cidades participaram.

Revitalização do Centro

O programa "Nosso Centro" já está em execução e, segundo a prefeitura, conta com recursos do Tesouro municipal. As primeiras obras - mirante Lúcia Almeida, casarão Thiago de Mello e largo de São Vicente - estão em ritmo acelerado, criando um novo território público e reabilitado no início da Avenida 7 de Setembro.

São mais de 30 intervenções projetadas para o território, envolvendo não apenas obras, mas ocupação, economia, turismo, cultura, educação patrimonial e outros.

"A primeira etapa já será entregue usando recursos próprios. A segunda fase está em desenvolvimento de projetos e a ideia é exatamente ter a possibilidade de se obter, com o Novo PAC, recursos para aplicação no 'Nosso Centro'", disse o diretor de Planejamento do instituto, arquiteto e urbanista Pedro Paulo Cordeiro.

As três obras em andamento no Centro vão dar novo uso a edifícios e imóveis antes fechados e abandonados, em uma área que estava degradada e que, agora, passará a ter atividades e ocupação permanentes.

"É importante colocar que o 'Nosso Centro' não se trata apenas de obras, mas tem outras atividades e intervenções relacionadas, como de artes e cultura, como ocorre com o #SouManaus, educação patrimonial, que já realizamos com o projeto 'Vivendo o Nosso Centro', além da sinergia entre futura área do largo de São Vicente, mirante e casarão, com o mercado municipal Adolpho Lisboa e seu entorno, incluindo espaços e edificações já existentes", finalizou o arquiteto.