Advogado e servidor do TCE, Erwin Rommel Godinho Rodrigues, assassinado em Manaus — Foto: Redes sociais
1 de 1 Advogado e servidor do TCE, Erwin Rommel Godinho Rodrigues, assassinado em Manaus — Foto: Redes sociais

Advogado e servidor do TCE, Erwin Rommel Godinho Rodrigues, assassinado em Manaus — Foto: Redes sociais

O pastor Helcio Maia Neto, filho do advogado e servidor do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE) Erwin Rommel Godinho Rodrigues, de 54 anos, que foi morto a tiros ao sair de um restaurante em Manaus, se pronunciou sobre o caso nas redes sociais.

Em publicações feitas ainda no sábado (11), Helcio falou sobre os últimos momentos ao lado do pai e pediu Justiça.

"Morreu um homem bom. Esses dias estivemos juntos no sítio, foi um tempo bom, Deus permitiu ficar um tempinho com ele. Que a justiça faça justiça. Nada vai trazer meu pai de volta. Não morreu só meu pai, morreu um amigo, e é assim que vou guardar a memória dele", disse o pastor que viajou de Belo Horizonte para acompanhar a despedida do pai em Manaus.

O caso

O crime aconteceu por volta das 14h de sábado. O servidor público e advogado participava de uma reunião em um restaurante, localizado na Avenida Santos Dumont, na Zona Centro-Oeste da capital. Ao sair do estabelecimento foi atacado por ocupantes que estavam em um carro.

O advogado foi atingido com seis tiros. Ele chegou a ser levado para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, mas não resistiu aos ferimentos.

Após o crime, o veículo fugiu do local.

A Comissão de Direitos e Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM) afirmou, em nota, que irá tomar as medidas para apurar a morte do advogado.

O Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) também publicou uma nota de pesar, solidarizando com a família.

O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).