Estado tem risco de corte de energia elétrica e alagamentos. Nos últimos dias, o nível do Rio Negro, em Manaus, subiu 76 centímetros

Amazonas tem risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.
Amazonas tem risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas. Reprodução: Defesa Civil do Amazonas
Ouvir notícia

O Amazonas está em alerta amarelo e laranja para chuvas intensas para os próximos dias, de acordo com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Outros cinco estados estão sob o mesmo aviso: Maranhão, Mato Grosso, Pará, Ceará e Piauí.

De acordo com a Defesa Civil do Estado, o alerta tem validade até a manhã desta terça-feira (19). A previsão é de chuva de até 60 milímetros (mm) por hora ou de até 50 e 100 mm por dia. Os  ventos devem ter intensidade de até 100 km/h. Há risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

Todos os 62 municípios amazonenses estão em situação de emergência, ainda em recuperação dos efeitos da seca. Segundo dados da Defesa Civil, o Amazonas tem 599 mil pessoas afetadas até o momento pela seca severa, ou 150 mil famílias.

Ao todo, dezenove estados estão em alerta amarelo para chuvas intensas.

Nos últimos dias, o nível do Rio Negro, em Manaus, subiu 76 centímetros, segundo informações da Defesa Civil.

Acompanhe o nível dos rios

  • Calha do Juruá: A estação de referência no rio Juruá, situada em Itamarati, registrou subida de 1 cm. Na região próxima a nascente da calha, Guajará (Cruzeiro do Sul) nos últimos 5 dias o nível do rio baixou 279 cm e em Ipixuna subiu 165 cm, devido a oscilação esperada entre as transições de estações.
  • Calha do Purus: A calha do Purus, localizada próxima a foz do rio, no município de Beruri, registrou uma subida de 96 cm, o que é esperado no momento.
  • Calha do Madeira: A estação de referência da calha do Madeira localizada no município de Humaitá, registrou desceu 1 cm.
  • Calha do Solimões: Nos últimos 5 dias, a estação de referência em Tabatinga registrou uma subida de 28 cm. Já na região próxima à foz da calha, em Manacapuru, foi registrada uma subida de 80 cm.
  • Calha do Amazonas: Em Itacoatiara, foi registrado nos últimos 5 dias, uma elevação de 70 cm.
  • Calha do Negro: no alto Rio Negro, em Santa Izabel do Rio Negro, foi registrado uma elevação de 43 cm, na porção média da calha, no município de Barcelos, foi registrada uma subida de 22 cm, em Manaus nos últimos 5 dias houve uma elevação de 76 cm.

(Informações da Defesa Civil de 14 a 17 de dezembro)

*(Sob supervisão de Felipe Andrade)

Tópicos