Ricardo Nunes (no meio, ao fundo) e Jair Bolsonaro em cerimônia de aniversário da Rota, batalhão da PM de SP, em outubro. — Foto: TOMZÉ FONSECA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
1 de 1 Ricardo Nunes (no meio, ao fundo) e Jair Bolsonaro em cerimônia de aniversário da Rota, batalhão da PM de SP, em outubro. — Foto: TOMZÉ FONSECA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Ricardo Nunes (no meio, ao fundo) e Jair Bolsonaro em cerimônia de aniversário da Rota, batalhão da PM de SP, em outubro. — Foto: TOMZÉ FONSECA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente do PL, Valdemar da Costa Neto, disse que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) vai apoiar o a campanha de reeleição de Ricardo Nunes (MDB) para a Prefeitura de São Paulo.

Valdemar fez a afirmação ao jornal "Folha de S.Paulo" e a confirmou ao blog neste sábado (23).

Segundo o presidente do PL, Bolsonaro deve indicar o vice da chapa. A definição desse nome, porém, deve acontecer apenas em março, segundo um assessor do ex-presidente.

Nunes, que apoiou Bolsonaro em 2022, tem cortejado o apoio do ex-presidente, que teve 3,2 milhões de votos na cidade de São Paulo no 2º turno da disputa presidencial (Lula teve 3,7 milhões).

"Eu quero, é importante que tenha o apoio do presidente Bolsonaro. É fundamental o apoio do presidente Bolsonaro", disse Nunes num vídeo de uma entrevista divulgado pelo prefeito no Instagram. "O projeto da eleição da maior cidade do Brasil ele é fundamental, tem que ter um olhar especial porque o que resulta aqui repercute no Brasil inteiro (...) Agora, é no tempo dele".

Nunes foi eleito vice-prefeito em 2020 na chapa de Bruno Covas (PSDB), e assumiu definitivamente o comando da cidade após a morte do então prefeito, aos 41 anos, vítima de câncer. Antes, foi vereador por dois mandatos.

E Ricardo Salles?

Caso se decida por Nunes, Bolsonaro vai preterir um de seus mais fiéis apoiadores e correligionário – o ex-ministro do Meio Ambiente e deputado federal Ricardo Salles (PL-SP), que também pretende disputar a Prefeitura de São Paulo.

Num indício de que isso pode acontecer, Bolsonaro tergiversou quando, ao lado de Salles, foi instado a comentar a frase "São Paulo é Ricardo, mas Ricardo Salles":

"Muita gente gosta do Salles, e eu também sou simpático a ele – foi meu ministro, fez um excelente trabalho lá no Meio Ambiente, e seria uma oportunidade de recompensá-lo, né? Se bem que é muito trabalho que tem aí uma vez eleito prefeito. Agora, São Paulo merece realmente um nome de uma pessoa que vá realmente fazer pelo município, e não fazer muito pelo partido."