E aí presidente e deputados? Vão esperar as pequenas empresas quebrarem?

E aí presidente esperar quebrar os pequenas?

Coluna do Simpi – Decisão do STF: DIFAL/ICMS na barreira para Optantes só com lei estadual - News Rondônia

Essa é a pergunta, quase um grito, mais ouvido hoje nos mais de 5 mil munícipios brasileiros . Para quem não lembra, no de 2022 havia uma proposta que tratava da ampliação dos limites para as pequenas empresas do país, e já aprovada no Senado Federal em 2022 e foi designada para análise da Câmara dos Deputados. No entanto, devido à resistência na Câmara executada pelo PT e PMDB, a análise do texto que amplia os limites do Simples Nacional foi adiada para 2023 para passar a ter validade, se aprovada, só em 2024. Na época, parlamentares ligados à negociação da proposta fecharam acordo com o PT e MDB que estavam resistentes à votação da proposta em 2022 com a justificativa do receio quanto a perda de arrecadação sobre as contas do futuro governo de Lula, esquecendo que quase 22 milhões de empresas, principalmente o MEI, teriam muita dificuldade em permanecer na formalidade. A ideia naquele tempo era acertar com o novo governo e votar o texto em fevereiro. E agora, que já estamos no dia 19 de dezembro e não se escuta uma palavra de quem pode falar. Mas perguntamos como todos os 22 milhões de micro e pequenos empresários perguntam chegamos ao final do ano e o limite de faturamento anual para 2024 será de R$ 81 mil ou R$ 144 mil? Como se planejar financeiramente para o próximo ano? – “E aí presidente, vai liberar seus comandados para votar com a pequena empresa ou vai deixar que fechemos as portas e coloquemos milhões, entre desempregados e “desempresários”, na rua para vocês darem o bolsa família?