Jornalista Jaíne Quele Cruz venceu prêmio Ameron de Jornalismo — Foto: Rede Amazônica/Reprodução
1 de 1 Jornalista Jaíne Quele Cruz venceu prêmio Ameron de Jornalismo — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Jornalista Jaíne Quele Cruz venceu prêmio Ameron de Jornalismo — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

g1 Rondônia levou o 1° lugar do 'Prêmio Ameron de Jornalismo', realizado nesta segunda-feira (11) na sede da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), em Porto Velho.

A reportagem premiada — Professor da Unir denunciado por assédio tem pedido de danos morais negado na Justiça — é de autoria da jornalista Jaíne Quele Cruz. A matéria trouxe desdobramentos sobre uma denúncia de assédio, registrada por uma aluna, contra um docente do curso de direito.

A presidente da Ameron, Euma Tourinho, e o presidente do Tribunal de Justiça, Marcos Alaor Diniz Grangeia, prestigiaram a cerimônia que busca reconhecer reportagens que realçam "os feitos da magistratura e contribuem para a conscientização dos cidadãos sobre seus direitos e responsabilidades".[

Além da categoria webjornalismo, o concurso premiou as reportagens de telejornalismo. Em discurso, Euma salientou que o papel dos jornalistas é essencial no importante, pois não apenas celebra a excelência jornalística, como também destaca a relevância da divulgação das atividades judiciais para a comunidade rondoniense.

Esta foi a terceira indicação do g1 e da jornalista Jaíne Quele Cruz em prêmios de jornalismo no estado em 2023. Em novembro, o portal conquistou a 1ª e a 2ª colocação no prêmio MP-RO de Jornalismo na categoria web, após revelar a real situação dos alunos das comunidades ribeirinhas de Porto Velho.

Professor da Unir denunciado por assédio tem pedido de danos morais negado na Justiça