A retomada do funcionamento do Restaurante Popular Prato Fácil, tornou-se prioridade do Governo de Rondônia

Porto Velho, RO - Para fortalecer a segurança alimentar em Rondônia, o governador de Rondônia, Marcos Rocha, reinaugura o Restaurante Popular Prato Fácil, na zona Leste de Porto Velho, na segunda-feira, 18. As refeições saudáveis e nutritivas terão custo de apenas R$ 2.

O governador explicou que a obra do prédio onde voltará a funcionar o restaurante foi considerada prioridade desde o início da gestão, por isso foi incluída no Plano Estratégico do Estado e que é uma satisfação ter vencido os desafios da reconstrução, que teve um custo de aproximadamente R$ 1,5 milhão.

“A retomada do funcionamento do Restaurante Popular Prato Fácil, tornou-se prioridade do Governo de Rondônia diante da importância dele para garantir o bem-estar da população”, disse Marcos Rocha.

FUNCIONAMENTO

O ato solene de reinauguração será às 10h e logo em seguida será iniciado o atendimento ao público. O restaurante está localizado na Rua Teotônio Vilela, no Bairro Juscelino Kubitschek, na maior área populacional de Porto Velho.



O restaurante tem a proposta de servir 1.500 refeições por dia, das 11h às 15h, tendo como público-alvo, pessoas ou famílias em situação vulnerável inscritas no Cadastro Único (CadÚnico).

O Governo Estadual deverá injetar R$ 4,3 milhões para manter em funcionamento o restaurante. A estimativa é que após a reinauguração cerca de 30 mil pessoas sejam alimentadas mensalmente, de segunda a sexta-feira.

PRATO FÁCIL

O estabelecimento soma aos 38 restaurantes credenciados do programa estadual Prato Fácil, que já atendem na Capital e nos municípios de Ariquemes, Cacoal, Guajará-Mirim, Ji-Paraná e Vilhena. A iniciativa é executada pela Secretaria da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas).



Além de estar cadastrado no CadÚnico, fazem parte dos critérios do Prato Fácil, ter renda per capita de até meio salário mínimo, ou ser recebedor do Benefício de Prestação Continuada (BPC); e ainda aposentados com renda de até um salário mínimo.