Porto Velho, RO - Três importantes figuras políticas de Porto Velho, Marcelo Cruz, Fernando Máximo e Léo Moraes, reuniram-se em um jantar na semana passada para discutir a sucessão à Prefeitura da capital, informa o jornalista Sérgio Pires .

Embora não tenha sido definido quem será o candidato a prefeito entre eles, ficou certo que os três irão unir forças na campanha.

Além disso, anunciaram seu apoio ao atual vice-governador, Sérgio Gonçalves, como candidato a governador, e ao atual governador, Marcos Rocha, como candidato ao Senado Federal.

A partir do final de março, será possível ter uma visão mais clara de quem liderou a candidatura municipal em Porto Velho.

Confira parte da coluna do jornalista Sérgio Pires:

MARCELO CRUZ, FERNANDO MÁXIMO, LÉO MORAES: TRIO PESO PESADO FECHA ACORDO PARA SUCESSÃO À PREFEITURA DA CAPITAL

A comida foi boa, mas a conversa foi muito melhor. Três dos nomes mais quentes que são relatados em qualquer relação de possíveis candidatos à Prefeitura de Porto Velho se encontraram, na semana passada, num jantar regado a política, na residência de um quarto personagem e amigo comum do trio.

Sentados à mesma mesa, estavam o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Marcelo Cruz, nome em grande ascensão na nossa política; o deputado federal e ex-secretário de saúde do Estado, Fernando Máximo, outro que almeja a cadeira de Hildon Chaves e também o ex-deputado federal e atual diretor geral do Detran, Léo Moras.

A sucessão municipal, é claro, foi um dos pratos principais. Teria ficado determinado que os três andarão juntos na sucessão, embora não tenha sorte a definição de quem será o candidato a Prefeito, entre eles.

Outra definição: os três já avisaram que vão apoiar o nome de Sérgio Gonçalves, o atual vice-governador e que assumirá o governo na reta final de 2026, para comandar o Estado e o atual governador, Marcos Rocha, como candidato de todos para o Senado Federal. Marcelo, Fernando e Léo ficarão do mesmo lado, na disputa pela Prefeitura.

O jantar da semana passada foi um concreto disso. Como na política as coisas nunca são definitivas, resta esperar para ver.

A partir do final de março, o quadro ficará mais claro.

E então se seguirá a saber quem dos três encabeçará a chapa para a sucessão municipal na maior cidade do Estado.