Outros problemas estruturais, físicos e de escala foram identificados em quatro unidades de pronto atendimento na capital.


Fiscalização foi realizada em unidades de saúde de Porto Velho — Foto: TCE-RO/Divulgação

Fiscalização foi realizada em unidades de saúde de Porto Velho — Foto: TCE-RO/Divulgação

A ausência de profissionais da saúde plantonistas e falhas nos controles de escalas foram alguns dos problemas encontrados em unidades de saúde de Porto Velho durante fiscalização realizada pelo Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE-RO) na madrugada desta quinta-feira (18).

A inspeção foi feita para verificar o controle e a presença de profissionais previstos nas escolas de plantões. Participaram da ação oito auditores do TCE que, divididos em equipes, vistoriaram quatro unidades de atendimento 24 horas:

  • Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Leste
  • Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sul
  • Unidade José Adelino
  • Policlínica Ana Adelaide

A ação de fiscalização foi realizada devido o recebimento de denúncias sobre a falta de médicos nos plantões. Foi constatada a ausência de profissionais de saúde e o descumprimento da carga horária. Também foram encontrados problemas envolvendo infraestrutura precária, controle de medicamentos, manutenção de equipamentos e condições limpeza e sinalização.

Segundo o TCE, outras inspeções estão previstas para serem realizadas com o objetivo de avaliar os procedimentos implementados pela gestão de saúde.

Um relatório técnico deve ser elaborado e encaminhado aos órgãos responsáveis pela gestão e acompanhamento da execução de políticas públicas.

O g1 questionou a prefeitura sobre os problemas apontados na fiscalização, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.