O g1 conversou com o professor e historiador Luís Henrique, que explicou o motivo da praça ter se popularizado com esse nome. E a história é bem simples: tudo foi motivado por uma loja de eletrodomésticos.

“Nos anos 90 estava no auge essas lojas de eletrodomésticos e coisas do tipo, aí bem na esquina [da praça] tinha essa loja chamada Baú Barateiro que era popular no Brasil inteiro”, explica.

Baú barateiro em Porto Velho — Foto: Reprodução

Baú barateiro em Porto Velho — Foto: Reprodução

E por causa da popularidade da loja — que não existe mais em Porto — a praça Marechal Rondon foi “rebatizada” pela população e o nome permanece até hoje, quase 100 anos depois.

A praça foi inaugurada na década de 30. O nome homenageia Cândido Mariano Rondon, um engenheiro militar, descendente de indígenas, que foi responsável pelo sistema de telégrafos no Vale do Guaporé.

Busto do Marechal Rondon, na praça de mesmo nome que fica no Centro de Porto Velho — Foto: Diêgo Holanda/G1

Hoje o local é frequentado por quem deseja pegar ônibus ou fazer integração. No entanto, quando foi criada, era um dos locais mais movimentados de Porto Velho simplesmente como ponto turístico e também por ser um “complexo” de locais bastante frequentados.

Segundo o professor Luís, a praça Marechal Rondon era a “porta” do antigo Fórum Rui Barbosa e do Cine Resky: dois locais muito frequentados pela população de Porto Velho.