Presidente indicou Lewandowski, inseriu PP e Republicanos no primeiro escalão e demitiu mulheres

  • compartilhamento Especial

    Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

    Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

São Paulo

Durante o primeiro ano de mandato, Lula (PT) demitiu ministros e remanejou pastas com diversos objetivos, inclusive a busca de governabilidade. Na mudança mais recente no primeiro escalão, anunciou o ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski para o Ministério da Justiça, com a saída de Flávio Dino para ocupar uma vaga na corte.

Antes, restruturou os cargos do governo, criando o Ministério das Micro e Pequenas Empresas e demitindo a então chefe do Esporte, Ana Moser.

André Fufuca (PP) ocupou a vaga da ex-atleta. Houve ainda o remanejamento de Márcio França (PSB), que deixou os Portos e Aeroportos para acomodar Silvio Costa Filho (Republicanos) e foi para a nova pasta para fomentar políticas públicas ao pequeno e médio empreendedor, anunciada por Lula no fim de agosto.

Hoje, a administração do petista tem 38 ministros. Esse número só foi superado por Dilma Rousseff (PT), que chegou a 39 pastas no segundo mandato.

O presidente Lula (PT) em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília
O presidente Lula (PT) em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília - Adriano Machado - 30.ago.23/Reuters

Veja como ficou a Esplanada dos Ministérios de Lula após reforma para inserir o centrão:

Governo Lula e o centrão
  • Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha

    Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha