As lojas que quiserem comercializar produtos como água, refrigerante e cerveja terão, obrigatoriamente, de liberar o uso de sanitários – a cobrança e o valor são opcionais. As bebidas poderão ser vendidas em embalagem PET ou lata, sem fracionamento e exclusivamente no varejo.

Para se cadastrar, os estabelecimentos devem obedecer aos seguintes critérios:

  • ter alvará de localização e funcionamento válido;
  • estarem localizados em ruas onde ocorram desfiles de blocos ou em vias a até 500 metros de distância dos cortejos.

De acordo com a prefeitura, a medida, já aplicada em 2023, permite ampliar os pontos de banheiros para os foliões. Já para a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), é uma oportunidade para comerciantes que não têm relação direta com o carnaval aumentarem as vendas.

Bebida até em loja de roupas

Uma loja de roupas do bairro Funcionários, na Região Centro-Sul da capital, vai liberar o uso do banheiro por R$ 5 e vender bebidas durante a folia.

"Fizemos no ano passado e deu muito certo no faturamento", disse a recepcionista Diana de Souza.

Diana prepara embalagens de água para venda durante o carnaval em BH — Foto: TV Globo/ Reprodução

Os pontos de apoio cadastrados poderão disponibilizar sanitários e comercializar bebidas a partir de duas horas antes do início das atividades dos blocos – concentração e desfile – até duas horas depois do encerramento, no período de 9 a 17 de fevereiro.

O cadastro dos estabelecimentos deverá ser feito no Portal de Serviços da prefeitura. É necessário informar o CNPJ e o número de alvará de localização e funcionamento, além do endereço comercial.

O número do cadastro deverá ser fixado no comércio de forma visível e legível. A inscrição não permite o consumo de bebidas dentro das lojas nem a venda de alimentos.