A mistura do rock e do manguebeat atraiu uma multidão de foliões para o Marco Zero, o principal polo do carnaval do Recife, na segunda-feira (12). No entanto, a noite ficou marcada por brigas, confusões e correrias enquanto atrações como Matuê, Paralamas do Sucesso, Nação Zumbi e Pitty se apresentavam no palco (veja vídeo acima).

Imagens enviadas para o WhatsApp da TV Globo mostram rodas de brigas e tumulto no meio do público e vários policiais militares correndo para tentar apartar as confusões e prender os envolvidos. As cenas de violência se repetiram durante várias vezes ao longo da noite.

Bombeiros socorrem vítima de briga no Marco Zero em shows do carnaval do Recife na noite da segunda-feira (12) — Foto: Reprodução/TV Globo

Bombeiros socorrem vítima de briga no Marco Zero em shows do carnaval do Recife na noite da segunda-feira (12) — Foto: Reprodução/TV Globo

Em uma das brigas, um homem foi tão agredido que ficou desacordado no chão. As pessoas ao redor dele se desesperaram, outras correram. Em seguida, os bombeiros chegaram para socorrer a vítima e o levaram do local em uma maca.

Resposta

  • Constatou "a presença de grupos de jovens praticando atos de violência contra cidadãos que estavam na festa, sendo necessária a intervenção repressiva do policiamento";
  • Foi um "incidente pontual, comparado à grandiosidade do carnaval, tendo ocorrido a imediata intervenção da polícia para evitar furtos que se associam aos tumultos".
  • Desde o início do carnaval do Recife, na quinta-feira (8), "centenas de policiais militares tem se feito presente a pé, montados, em viaturas, motocicletas e helicópteros";
  • "Até o momento, não há registros de vítimas machucadas por policiais militares";
  • "Prendeu em flagrante algumas pessoas acusadas de roubo a transeunte, porte ilegal de arma branca, porte de droga, entre outros".

O g1 também entrou em contato com o Corpo de Bombeiros, para saber a quantidade de pessoas atendidas, e com a Polícia Civil, para saber quantos envolvidos nas confusões foram presos, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

Violência no carnaval