Mulher é indiciada por homicídio qualificado do enteado e Justiça decreta preventiva

A justiça decretou a prisão preventiva de Vera Lúcia de Castro, acusada de matar e ocultar o corpo do próprio enteado, Alfredo Alves da Silva, de 2 anos 11 meses, encontrado morto, na tarde do último domingo (18), dentro de um poço, de 10 metros de profundidade, em um sítio, localizado na zona rural do município de Cerejeiras.

Após a localização do corpo da criança, Vera Lúcia foi presa em flagrante. O delegado responsável pelo caso representou pela prisão preventiva da acusada, que foi deferida pela justiça e ela vai permanecer na cadeia.

Segundo apurou o RONDONIAGORA, Vera Lúcia foi indiciada por homicídio qualificado, pelo recurso que dificultou a defesa da vítima e ocultação do cadáver do enteado.

Entenda o caso

Após o desaparecimento da criança, que durou dois dias, familiares chegaram a divulgar nas redes sociais a foto do menino, pedindo ajuda para localizá-lo.

A irmã de Alfredo foi uma testemunha importante na localização do corpo. Aos policiais, ela informou que Vera poderia ter sido a autora do sumiço da criança, já que ela tinha costume de levar o enteado para o sítio onde a vítima foi encontrada.

Com essas informações, os policiais foram até a propriedade. Não demorou muito, e o corpo da criança foi encontrado boiando dentro do poço.

O corpo da criança foi retirado do poço e levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exames detalhados.

As investigações seguem para saber a dinâmica do crime. O pai já foi ouvido, juntamente com outras testemunhas.

Rondoniagora.com