Uma erosão de cinco metros de profundidade se abriu na pista, acarretada pela sobrecarga nos tubos que estão interligados à galeria. Os trabalhos de reparo começaram ainda na noite de domingo.

Já nesta segunda-feira, segundo a Seminf, duas mil sacas de rip-rap, com mistura de cimento e areia, foram colocadas no local.

"Aqui aconteceu um rompimento de uma drenagem profunda que tinha mais de 15 anos. Na época, foi feita apenas com tubo de concreto sem ferro na sua armação, e agora estamos trocando para tubos mais resistentes com aço na sua estrutura, que é o concreto armado", afirmou o secretário de Obras, Renato Junior.

Os trabalhos são realizados com o apoio de uma retroescavadeira e escavadeira hidráulica, descendo as sacas de rip-rap e aplicando o aterro para fechar essa cratera que chegou a seis metros de profundidade.

"Essa é uma área que tem centros comerciais, faculdade, igreja e hospitais. Não podemos deixar a via paralisada, estamos aproveitando mais uma vez o período de Carnaval para resolver o problema de forma definitiva e devolver até a Quarta-Feira de Cinzas", complementou o secretário.

A equipe trabalhou na substituição de dez tubos que sofreram rompimentos por conta do desgaste do tempo e foram sobrecarregados pelas últimas fortes chuvas, por serem peças de concreto e não suportarem o volume das águas das chuvas e nem a pressão do aterro.

Foram implantados novos tubos de concreto armado mais resistentes, e agora as equipes trabalham no aterro e rip-rap para, na sequência, aplicar o asfalto e fazer a calçada.