Senador, presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, lembra que a duplicação terá seu edital lançado em julho e o leilão acontecerá em outubro deste ano: “Vitória está próxima”

Desde quando o DNIT recebeu injeção financeira de R$ 606 milhões para investimentos exclusivos na BR-364 e noutras rodovias federais no estado, o senador Confúcio Moura (MDB-RO) se entusiasma cada vez mais com a presença do Ministério dos Transportes em Rondônia.

Hoje, 15, ele encerra a semana comemorando efusivamente a Road Show do Ministério dos Transportes, cujo mote é: “ O Brasil volta a crescer.”

O edital do trecho Porto Velho-Vilhena (extensão de 729 quilômetros) sairá em julho próximo, atendendo a uma população de 1,1 milhão de pessoas. Está assim distribuído: Capex, R$ 6,53 bilhões; Opex, R$ 3,89 bi.
O ministério estima que 59.404 trabalhadores serão empregados nas obras diretas, indiretas e outros se beneficiarão com o efeito-renda.

O leilão das concessões será em outubro. O bloco de obras em Rondônia é chamado: Rota Agro Norte.
“A vitória está próxima”, comemora o senador ao perceber a boa repercussão da notícia dos principais investimentos em infraestrutura no País. “Precisamos aquecer as baterias por aqui, porque um ciclo na vida dessa grande rodovia brevemente começará; esse ciclo já foi anunciado pelo ministro Renan Filho quando esteve em Itapuã do Oeste, e agora a duplicação significa o oitavo maior investimento do governo federal em nosso estado.”

Palavra cumprida

“Nós todos nos felicitamos com e cumprimentamos o Governo Federal pelo grande apoio; aquilo que o ministro Renan Filho previu vem se cumprindo à risca.”

“Até na Espanha a nossa Amazônia vem sendo projetada, e a nossa parte Ocidental já é vista como detentora de solos férteis e produção agropecuária altamente sustentável” – afirmou citando a Road Show Brazil estrelada pelo ministro em Madri, nessa semana.

A rota Agro contempla os acessos aos principais portos e faz a ligação entre o oeste do Estado de Mato Grosso e os estados de Rondônia e Acre.

Confúcio enfatiza a importância da obra para os estados do Acre, Amazonas, Mato Grosso e Rondônia: tudo agora se unirá com maior segurança no transporte de granéis sólidos agrícolas para escoamento pelo porto organizado da Capital e pelo Rio Madeira, além das demais cargas que chegam mais diretamente à região, sem passar pelo Rio Amazonas, chegando a Porto Velho de balsa.

Estima-se que 52% de toda a produção de soja do país se concentre nas regiões norte e centro-oeste, tendo a China como destino principal.

O senador destacou os 34,45 km do contorno de acesso ao porto organizado de Porto Velho e a grandiosidade do projeto, que possui 64 dispositivos e interseções; 20 passarelas de pedestres e sete travessias em nível; 22 OAE, e três pontos de parada de descanso.