Segundo o ONS, dois recordes foram registrados no último dia 15:

  1. A carga média diária — consumo mais as perdas elétricas no Sistema Interligado Nacional (SIN) — do país bateu 91.338 MWmed. Antes, a alta de consumo havia sido registrada em 17 de novembro de 2023, com 90.596 MWmed
  2. Também houve recorde no máximo exigido da rede elétrica em um mesmo momento — a chamada demanda instantânea. O patamar histórico do SIN foi alcançado às 14h37. Foram 102.478 MW (megawatts). O recorde anterior havia sido reportado em 7 de fevereiro, quando a demanda instantânea havia batido 101.860 MW

As ondas de calor são identificadas quando uma determinada região registra temperaturas muito acima da média por uma sequência de dias.

O alerta vermelho do instituto é emitido quando um fenômeno meteorológico é de intensidade excepcional. Segundo o instituto, os cinco estados devem registrar temperaturas máximas 5°C acima da média.

Temperaturas altas

Em São Paulo, por exemplo, os termômetros chegaram a registrar 34°C neste sábado (16), segundo a Climatempo. E a capital paulista ainda pode bater o recorde de maior temperatura para março, com previsão de máxima de 35°C para este domingo (17).

Onda de calor atinge boa parte do Brasil neste sábado

Onda de calor atinge boa parte do Brasil neste sábado

Já no Rio de Janeiro, a máxima foi de 38°C, mas a sensação térmica passou dos 60°C em alguns bairros da cidade, de acordo com o Sistema Alerta Rio da Prefeitura. Esse é o maior valor desde o início dos registros do sistema em 2014. As praias da capital fluminense ficaram lotadas, com muita gente buscando fugir do calorão.

No Centro-Oeste, o calorão também não deu trégua neste sábado. Campo Grande (MS) teve máxima de 36ºC e Cuiabá (MT), 37º, ainda segundo a Climatempo.