Dados foram levantados pelo Instituto Semesp, com base nos valores cobrados por 236 instituições de ensino, em todas as regiões brasileiras. Valores caíram em relação a 2023.


Maior parte dos alunos de licenciatura da rede privada escolhe formato EAD — Foto: Reprodução/Freepik

Maior parte dos alunos de licenciatura da rede privada escolhe formato EAD — Foto: Reprodução/Freepik

No ensino superior privado, a mensalidade cobrada pelas instituições de ensino varia significativamente dependendo do regime das aulas: cursos presenciais custam mais do que o triplo dos aplicados à distância (R$ 1.132 x R$ 348).

É o que mostra um estudo do Instituto Semesp, divulgado nesta segunda-feira (25), a partir de dados de 236 centros acadêmicos, faculdades e universidades das cinco regiões brasileiras, entre fevereiro e março de 2024.

➡️As mensalidades mais baixas são justamente um dos grandes chamarizes da EAD. Em uma provável tentativa de recuperar parte do mercado, as instituições reduziram os preços dos cursos presenciais entre 2023 e 2024, mostra o Semesp: considerando a inflação, houve uma queda de 16,7% nos valores cobrados, em oposição a uma redução menor (de 4,5%) nas tarifas de graduações à distância.

Com isso, o número de alunos aumentou em ambas as modalidades: 4,7% nos cursos presenciais e 5,1% nos remotos.

💰Quais são os cursos mais caros? E os mais baratos?

💲Cursos presenciais mais caros

  • Medicina: R$ 10.156
  • Veterinária: R$ 2.423
  • Odontologia: R$ 2.153

🔎Cursos presenciais mais procurados

  • Administração: R$ 930
  • Direito: R$ 1.141
  • Engenharia elétrica: R$ 574
  • Engenharia civil: R$ 556
  • Engenharia de produção: R$ 525

🔎Cursos EAD mais procurados

  • Pedagogia: R$ 301
  • Administração: R$ 333

Vídeos

Número de professores formados em EAD na rede privada dobra em 10 anos