'Ele estava na hora errada, no lugar errado', relata mãe de jovem baleado em haras de Vilhena, RO

Jovem baleado em Vilhena — Foto: Rede Amazônica
1 de 2 Jovem baleado em Vilhena — Foto: Rede Amazônica

Jovem baleado em Vilhena — Foto: Rede Amazônica

O jovem que estava no carro quando Juninho Laçador foi morto, no fim de dezembro, saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) esta semana. Carlos Marino foi atingido com vários tiros e precisou passar por cirurgia de alto risco, segundo a família.

Ao g1, os familiares do jovem contaram que ele se recupera bem, mas antes disso, seu estado era muito grave, a ponto de ele ser considerado “um milagre” por ter sobrevivo.

“Teve um momento que ele teve duas paradas cardíacas. Numa das paradas os médicos não estavam conseguindo reanimar ele. O médico falou: ‘a vida do filho de vocês é um milagre’”, relembrou a mãe, Neusa Ramos.

Ainda de acordo com a família, os tiros afetaram o pulmão, o intestino e a bexiga de Carlos. Um deles também atingiu uma artéria na sua perna, causando muito sangramento. Por conta dos ferimentos, o jovem enfrenta dificuldade de mobilidade na perna e em uma das mãos.

“Lugar errado, na hora errada”

A mãe de Carlos contou que ele estava trabalhando no haras há apenas quatro dias, juntamente com Juninho, quando o crime aconteceu. Ela o descreve como um jovem trabalhador e extrovertido, que ama cuidar dos cavalos e participar de provas de laço.

“Eles [Carlos e Juninho] eram amigos, companheiros que eles laçavam juntos, faziam treinos juntos, faziam provas juntos. Os dois era tudo juntos”, revelou a irmã de Carlos.

Jovem conhecido como Juninho Laçador morreu depois de ser atacado a tiros em RO — Foto: Rede Amazônica

As duas vítimas estavam dentro do carro, em frente ao haras, quando foram atacadas a tiros. Onze disparos atingiram Juninho, que morreu no local. Carlos foi baleado pelo menos quatro vezes e precisou ser socorrido em estado grave.

“Quando terminava o trabalho, eles paravam para treinar. Naquele dia foi o que aconteceu, terminou o trabalho e eles começaram a treinar porque ia ter uma prova em Vilhena e eles estavam treinando pra isso”, completa a irmã.

Durante coletiva de imprensa realizada pela Polícia Civil esta semana, os delegados responsáveis pelo caso apontaram que a vítima da tentativa de homicídio ainda não foi ouvida. Eles aguardam que o jovem se recupere bem, antes de ser questionado sobre o que aconteceu.

De acordo com a família, Carlos é acompanhado por psicólogo e está muito abalado.

“Eu podia ter perdido meu filho. Meu filho não tinha nada a ver com o que aconteceu. Ele estava na hora errada, no lugar errado, com a pessoa errada”, relata a mãe.

Por fim, a mulher diz que deseja que a justiça seja feita.

“Eu podia ter perdido meu filho. Não desejo nenhum mal, mas que a justiça seja feita. Não tenho ódio, não tenho raiva, eu só peço que Deus dê o que eles merecem receber”.

Detalhes do caso

Até o momento, três pessoas foram identificadas e presas por suspeita de envolvimento na morte de Juninho Laçador e na tentativa de homicídio contra Carlos. São elas:

Os três suspeitos tiveram mandados de prisão expedidos e se entregaram à polícia voluntariamente ao longo da semana.

Durante coletiva de imprensa sobre o caso, os delegados responsáveis apontaram que a vítima foi morta durante uma emboscada. De acordo com os delegados, a presença dos suspeitos no local foi descoberta, por exemplo, através de rastros.

As investigações apontam que o suspeito via a vítima como uma ameaça "ao seu desejo de ficar rico com a herança do sogro" e, por este motivo, decidiu matá-lo.

'Ele estava na hora errada, no lugar errado', relata mãe de jovem baleado em haras de Vilhena, RO 'Ele estava na hora errada, no lugar errado', relata mãe de jovem baleado em haras de Vilhena, RO Reviewed by Jotta Júnior on janeiro 07, 2023 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.