Só mais 72 horas

A história dos bolsonaristas radicais em Brasília, a espera por uma decisão que não veio e o que acontecia enquanto isso fora do movimento golpista.

Durante mais de dois meses, extremistas inconformados com o resultado da eleição se instalaram em frente ao quartel-general do Exército na capital federal. Apoiado em discursos golpistas e incitação à violência, o acampamento tinha superestrutura, se radicalizou e foi base dos ataques terroristas de 8 de janeiro ao Congresso Nacional, ao Palácio Planalto e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A exemplo do ocorrido em diversos quartéis pelo país, os bolsonaristas antidemocráticos em Brasília pediam intervenção militar e propagavam teorias conspiratórias e fake news. Enquanto isso, do lado de fora, Lula foi diplomado, tomou posse e é o novo presidente do Brasil. E mais de 1,4 mil pessoas foram presas por envolvimento na barbárie.

Entre a meia-noite de 30 de outubro, o dia do segundo turno, quando radicais começaram a falar que era preciso esperar 72 horas para que algo mudasse, e as 9h da manhã de 9 de janeiro, quando o acampamento de Brasília começou a ser desmontado, passaram-se 1.689 horas. Veja, no comparativo abaixo, discursos e atos criminosos propagados e cometidos pelos extremistas ao longo desse tempo e sucessão de decisões e fatos no mundo fora do universo golpista e inconstitucional.

Veja depois, ao final desta página especial, um vídeo que reconta essa história.

O prazo sem fim

Falsa "tese" das 72 horas é renovada sempre que o prazo expira (e nada acontece).

Bolsonaristas golpistas

🗳️ Após a derrota de Bolsonaro para Lula no 2º turno das eleições em 30 de outubro, apoiadores radicais do ex-presidente reúnem-se em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília, onde montam um acampamento golpista.

Bolsonaristas golpistas

⏳ A exemplo de diversos atos antidemocráticos espalhados pelo país, inclusive em rodovias, extremistas clamam por intervenção militar, fazem ameaças violentas e pedem aos frequentadores que continuem mobilizados por “72 horas”.

Bolsonaristas golpistas

🤐 Segundo essa “tese”, que se converteria num lema sempre renovável, Bolsonaro deve guardar silêncio por três dias, até que possa adotar alguma medida capaz de reverter o resultado das urnas.

Bolsonaristas golpistas
Foto de post de 31 de outubro sobre as 72 horas
Bolsonaristas golpistas
Foto de post de 26 de dezembro sobre as 72 horas
Fora do acampamento golpista

👀 Mas Bolsonaro não espera 72 horas, não. Em 1º de novembro, ele faz o 1º pronunciamento após fracassar na tentativa de se reeleger.

Fora do acampamento golpista

💬 Ele lê um discurso curto, de 2 minutos, diz que continuará cumprindo a Constituição e defende “manifestações pacíficas”, às quais classifica como “fruto de indignação e sentimento de injustiça de como se deu o processo eleitoral”.

Fora do acampamento golpista

📢 Logo após a breve fala de Bolsonaro, o ministro Ciro Nogueira (Casa Civil) assume o microfone no púlpito e fala que dará início à transição de governo, tema que não tinha sido abordado pelo presidente.

Bolsonaristas golpistas

📵 Depois das eleições, em vários momentos golpistas propagam mentira sobre a suposta prisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF. Presidente do TSE, ele é um dos alvos preferenciais de bolsonaristas radicais desde a abertura do inquérito das fake news, em 2019.

Bolsonaristas golpistas

🤦‍♂️ Extremistas passam a espalhar essa mentira e a pedir a prisão de Moraes (a quem chamam de Xandão), como neste registro de 29 de dezembro no acampamento golpista em Brasília.

Fora do acampamento golpista

👩‍⚖️ Em 1º de novembro, a maioria dos ministros do STF vota por manter uma decisão tomada na véspera por Moraes, que na época determinou que polícias desbloqueassem rodovias interditadas por bolsonaristas.

Fora do acampamento golpista

👉 Dois dias mais tarde, Moraes afirma que o resultado das urnas é incontestável e que os criminosos que atacam o sistema eleitoral serão responsabilizados: “O 2º turno democraticamente acabou no último domingo. O TSE proclamou o vencedor”.

Fora do acampamento golpista

⛔ A partir dali, Moraes toma outras ações: em 17 de novembro, manda bloquear contas de pessoas e empresas supostamente ligadas a atos antidemocráticos; em 23 de novembro, multa o PL em R$ 23 milhões após o partido pedir anulação de votos na eleição sem indicar prova de fraude.

Diplomação de Lula e vandalismo em Brasília

Extremistas tentam invadir PF no dia da cerimônia.

Fora do acampento golpista

📃 Em 12 de dezembro, ocorre a diplomação de Lula (na prática, a cerimônia confirma o processo eleitoral e autoriza a chapa vencedora a tomar posse). No discurso, o presidente eleito chora ao se lembrar de críticas por não ter diploma universitário.

Fora do acampamento golpista

🗣️ Em seu discurso, Alexandre de Moraes afirma que a diplomação atesta a “vitória plena” da democracia e do Estado de Direito. Também critica a disseminação de "fake news".

Foto da diplomação de Lula  com Moraes
Bolsonaristas golpistas

🤬 No mesmo 12 de dezembro, extremistas espalham (e comemoram) uma mentira: a diplomação (que um deles chamou de “diplomacia”) de Lula vai ser cassada (não foi), e a suspensão vai sair no “Diário Oficial da União” (não saiu).

Bolsonaristas golpistas

✝️ Também no dia 12 e depois da diplomação do adversário, Bolsonaro recebe apoiadores diante do Palácio da Alvorada. Lá, ouve uma oração acompanhado de um religioso e de crianças, mas não discursa.

Bolsonaristas golpistas

🚒 Naquela noite, bolsonaristas radicais promovem diversos atos de vandalismo em Brasília. Eles tentam invadir a sede da PF e atacam uma delegacia. Carros e ônibus e são danificados e incendiados. Ninguém é preso.

Bolsonaristas golpistas

🚨 A depredação começa em frente à PF, após o cumprimento de um mandado de prisão temporária contra o indígena José Acácio Tserere Xavante, apoiador de Bolsonaro.

Bolsonaristas golpistas

🧨 12 dias depois, na véspera de natal, um explosivo é encontrado perto do Aeroporto de Brasília.

Fora do acampamento golpista

👨‍🏫 Segundo autoridades, o acampamento de extremistas em frente ao Exército tem relação tanto com esse episódio quanto com a noite de barbárie de 12 de dezembro.

Fora do acampamento golpista

🎤 Preso como autor do atentado de 24 de dezembro, George Washington de Oliveira Sousa, de 54 anos, declara ter participado de atos antidmocráticos e que sua intenção era iniciar o "caos" e que pretendia alcançar a decretação de estado de sítio no país.

Fora do acampamento golpista

🚫 Em 28 de dezembro, Alexandre de Moraes suspende temporariamente porte de armas de fogo no DF, atendendo a um pedido da equipe de Lula às vésperas da posse. A suspensão ocorre quatro dias após o bolsonarista George Washington ser autuado em flagrante por terrorismo.

Abre uma nova aba para matéria relacionada

Última live de Bolsonaro e pronuciamento de Mourão

Golpistas falam em não desistir após live final Bolsonaro mas se frustram após fala de Mourão.

Bolsonaristas golpistas

📺 Em 30 de dezembro, depois da última live de Bolsonaro como presidente, radicais no acampamento dizem que não irão retroceder e insistem: “Não desanimem. O presidente não pediu pra gente sair, [...] estava só se despedindo”.

Bolsonaristas golpistas

Foto do comunicado de 30 de dezembro entre bolsonaristas radicais
Fora do acampamento golpista

✈️ Depois de semanas de reclusão e longe das transmissões, Bolsonaro fica com voz embargada algumas vezes durante a live e faz longas pausas. Na tarde do próprio dia 30 de dezembro, embarca no avião presidencial rumo aos EUA.

Fora do acampamento golpista

📌 Na ausência do titular, cabe ao vice Hamilton Mourão fazer um pronunciamento de fim de ano. No discurso de 31 de dezembro, ele critica “lideranças” que, “com silêncio”, deixaram para as Forças Armadas a conta por “inação” ou por um “pretenso golpe”.

Fora do acampamento golpista

☝️ Sem falar diretamente dos acampamentos golpistas, Mourão declarou: "Tranquilizemo-nos! Retornemos à normalidade da vida, aos nossos afazeres e ao concerto de nossos lares".

Abre uma nova aba para matéria relacionada
Bolsonaristas golpistas

🎖️ Ao longo dos mais de dois meses de movimento golpista, bolsonaristas clamam em diversos momentos pela ajuda do general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Bolsonaro. Em 2 de janeiro, radicais espalham a mentira de que Heleno assumiu o comando do país.

Bolsonaristas golpistas

Fora do acampamento golpista

❓❗ Em 1º de janeiro de 2023, o “Diário Oficial da União” publica a exoneração de 19 ministros de Bolsonaro. Augusto Heleno está entre eles.

Fora do acampamento golpista

🖊️ Em 2 de janeiro, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, reúne-se com 15 chefes de Estado que, na véspera, participaram da cerimônia de posse.

O ataque terrorista de 8 de janeiro

Extremistas partem do acampamento golpista antes da depredação dos Três Poderes.

Bolsonaristas golpistas

📱 No início de janeiro, ocorre uma debandada no acampamento golpista, que neste momento fica com não mais que 200 pessoas. Mas, a partir do dia 7, ocorre invasão em massa a Brasília, que vê chegarem mais de cem ônibus, com cerca de 4 mil pessoas.

Foto de mensagem convocando para atos terroristas de 8 de janeiro
Bolsonaristas golpistas

🚔 É do acampamento que sai boa parte do grupo de terroristas que depredam o Congresso, o Planalto e o STF. Na caminhada de 8 Km até a Praça dos Três Poderes, a horda de vândalos é escoltada pela polícia.

Bolsonaristas golpistas

🏛️ Terroristas quebram vidraças e móveis, vandalizam obras de arte e objetos históricos, invadem gabinetes de autoridades, rasgam documentos e roubam armas. Muitos deles transmitem a selvageria ao vivo, nas redes sociais.

Foto de terroristas no ataque de 8 de janeiro no Congresso
Bolsonaristas golpistas
Foto de post autonomo de bolsonarista golpista sentado
Bolsonaristas golpistas
Foto de post autonomo mostra destruição
Bolsonaristas golpistas
Foto de post autonomo mostra terroristas e vidros quebrados
Bolsonaristas golpistas

⛺ Depois da barbárie, parte dos extremistas retorna ao acampamento golpista em frente ao quartel-general do Exército. Alguns dizem querer "botar fogo no STF".

Fora do acampamento golpista

🤔 Embora as ações antidemocráticas dos golpistas estejam sendo combinadas há dias pelas redes sociais, autoridades DF não adotam medidas preventivas para proteger os prédios.

Fora do acampento golpista

📸 PM do DF é criticada por se omitir. Vídeos mostram policiais conversando com bolsonaristas e filmando a invasão do Congresso.

Fora do acampamento golpista

👈 À tarde, o governador do DF, Ibaneis Rocha, anuncia exoneração do Secretário de Segurança Pública do DF, o bolsonarista Anderson Torres, que está de férias nos Estados Unidos e tinha sido ministro da Justiça do governo anterior.

Fora do acampamento golpista

🛑 O presidente Lula, que estava no interior de SP no momento dos ataques, volta a Brasília na noite de 8 de janeiro e decreta intervenção federal para assumir a segurança pública do DF. Alexandre de Moraes afasta Ibaneis do cargo por 90 dias.

Bolsonaristas golpistas

🚓 Na noite do dia 8, centenas de golpistas são presos em flagrante. Fotos e vídeos permitem a identificação de vários terroristas.

Bolsonaristas golpistas

🔚 Na manhã de 9 de janeiro, a PM do DF e o Exército realizam uma operação para desmontar o acampamento golpista, após decisão de Alexandre de Moraes.

Bolsonaristas golpistas

🚚 Os criminosos são retirados do local em cerca de 50 ônibus e levados ao ginásio da Academia Nacional da PF para passar por triagem. Depois, eles são encaminhados ao Complexo da Papuda ou à Penitenciária Feminina do DF.

Foto mostra bolsonaristas no ginásio da PF em Brasília.
Bolsonaristas golpistas

🕐 Mais de 1,4 mil bolsonaristas golpistas são presos.

Fora do acampamento golpista

👊 Em 9 de janeiro, Lula se reúne com governadores de 23 estados e representantes de outros quatro. “Não vamos permitir que a democracia escape das nossas mãos”, afirmou. Depois, ele saiu em caminhada simbólica com ministros até o STF.

Só mais 72 horas Só mais 72 horas Reviewed by Jotta Júnior on janeiro 14, 2023 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.