No domingo (26), após uma furadeira enorme quebrar, a previsão passou a ser mais pessimista: o salvamento deve ocorrer só no fim de dezembro, no Natal, afirmou Arnold Dix, especialista em túneis que está trabalhando com os oficiais indianos.

Por g1

Equipes de resgate trabalham em túnel onde 40 pessoas ficaram presas após desabamento parcial em obra no norte da Índia, em 12 de outubro de 2023. — Foto: Forças de Resposta a Desastres de Uttarakhand via Reuters
1 de 2 Equipes de resgate trabalham em túnel onde 40 pessoas ficaram presas após desabamento parcial em obra no norte da Índia, em 12 de outubro de 2023. — Foto: Forças de Resposta a Desastres de Uttarakhand via Reuters

Equipes de resgate trabalham em túnel onde 40 pessoas ficaram presas após desabamento parcial em obra no norte da Índia, em 12 de outubro de 2023. — Foto: Forças de Resposta a Desastres de Uttarakhand via Reuters

O Exército indiano conseguiu nesta terça-feira (28) chegar até os 41 trabalhadores indianos presos há 16 dias em um túnel que desabou parcialmente em Uttarakhand, no norte do país.

A construção é um megaprojeto do governo indiano para criar uma rota turística entre diferentes templos hindus, com estradas cortando o Himalaia. No entanto, parte da obra desabou em 12 de novembro, deixando os trabalhadores presos dentro de uma das maiores cadeias de montanhas do mundo.

Desde então, a força-tarefa para resgatar os operários avança lentamente, por causa da queda de escombros e das avarias nas máquinas de perfuração.

A imprensa local afirma que as equipes estão há poucas horas de resgatar os trabalhadores, que, segundo autoridades, estão em bom estado de saúde - no domingo, as equipes chegaram a enviar raquetes e bolas de críquete para que eles praticassem o esporte dentro do túnel.

Ainda não há confirmações de que o resgate dos trabalhadores possa acontecer ao longo do dia. No domingo (26), após uma furadeira enorme quebrar (veja abaixo), a previsão passou a ser mais pessimista: o salvamento deve ocorrer só no fim de dezembro, no Natal, afirmou Arnold Dix, especialista em túneis que está trabalhando com os oficiais indianos.

Apesar da expectativa ser para um mês, os esforços não foram reduzidos. O ministro-chefe de Uttarakhand, Pushkar Singh Dhami, anunciou no sábado que uma abertura vertical, com 89 metros de profundidade, estava começando a ser escavada para tentar chegar ao túnel.

Um novo dispositivo fará um corte a plasma (técnica similar à da soldagem) para eliminar as barras metálicas do túnel e tentar colocar um grande tubo de aço por onde os trabalhadores possam sair. O que dificulta a operação é que tudo acontece acima de onde estão as vítimas — qualquer incidente pode prejudicá-las ainda mais.

Estado dos trabalhadores

Furadeira enorme quebrou durante trabalhos de resgate dos 41 trabalhadores presos em um túnel na Índia — Foto: Arun Sankar/AFP

Na última quinta-feira (30), foi possível ver, pela primeira vez desde o desabamento, como estão as vítimas (assista ao vídeo abaixo). Por meio de uma câmera colocada em um tubo fino (que já é utilizado para fornecer oxigênio, comida e água), imagens mostraram que o grupo está exausto e ansioso.

No túnel, os operários podem ocupar um espaço de 8,5 metros de altura e dois quilômetros de extensão. E a comunicação com os bombeiros e com os familiares tem sido feita por rádio.

Quando o vídeo foi divulgado por autoridades indianas, em 21 de novembro, o ministro-chefe de Uttarakhand disse que "todos os trabalhadores estavam a salvo". O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, também chegou a dizer que o resgate dos trabalhadores era prioridade máxima.

"Vamos retirá-los com segurança, não se preocupem", afirmaram integrantes das equipes de resgate nos últimos dias.
Trabalhadores presos em túnel na Índia são vistos pela primeira vez em 10 dias

Trabalhadores presos em túnel na Índia são vistos pela primeira vez em 10 dias