Recorde, até agora, ocorreu em 17 de outubro de 2014, quando os termômetros chegaram a 37,8ºC, segundo o Inmet. Tempo vira a partir de sexta (17), com passagem de frente fria que deve trazer temporal com vento forte e muitos raios.

Por g1 SP — São Paulo

Pedestres enfrentam forte calor na região central de São Paulo, na tarde desta terça-feira (14). — Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO
1 de 1 Pedestres enfrentam forte calor na região central de São Paulo, na tarde desta terça-feira (14). — Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Pedestres enfrentam forte calor na região central de São Paulo, na tarde desta terça-feira (14). — Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

A cidade de São Paulo deve registrar o dia mais quente da história nesta quinta-feira (16). Segundo os meteorologistas da Climatempo, a previsão é a de que a máxima na capital chegue a 38°C.

Até agora, o recorde ocorreu em 17 de outubro de 2017, quando os termômetros marcaram 37,8°C.

Desde o início da semana, as máximas batem na trave e quase superam o índice de 2014.

Na segunda e na terça a cidade registrou 37,7, segundo maior índice desde o início das medições feitas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

No domingo (12), a capital registrou, com 37,1ºC, seu terceiro dia mais quente. Em setembro, São Paulo também garantiu sua quinta maior marca, mais um número que reafirma que 2023 é o ano mais quente da história.

Previsão é de calor e de temperatura acima da média em algumas capitais brasileiras

Previsão é de calor e de temperatura acima da média em algumas capitais brasileiras

Alerta para temporal

A partir de sexta (17), uma frente fria fará com que a temperatura caia bastante. O refresco, porém, deve vir acompanhado de chuva forte, com ventos fortes e muitos raios.

A Defesa Civil emitiu um alerta para fortes ventos no estado de São Paulo entre sexta (17) e domingo (19). A soma de calor, umidade e a passagem da frente fria vão criar condições para temporais, granizo e fortes rajadas de ventos em grande parte do estado.

Segundo a Defesa Civil, rajadas de vento podem variar entre 60 e 80 km/h. Com a possibilidade de um temporal, as rajadas podem chegar a 100 km/h em algumas áreas do estado.

Queda de energia

Nesta segunda, também o dia mais quente do ano e para um mês de novembro, a cidade registrou queda de energia em diversos pontos.

Na Avenida Paulista, e na região da Avenida Luís Carlos Berrini, na Zona Sul, alguns prédios ficaram totalmente ou parcialmente sem luz.

Presidente da Enel São Paulo responde perguntas da população

Presidente da Enel São Paulo responde perguntas da população

Nestes dias, as pessoas usam mais o ar condicionado, ventiladores e aumentam a potência da geladeira, o que sobrecarga o sistema.

De acordo com a ISA CTEEP, que opera a rede de transmissão de energia elétrica em 94% do estado, "foram verificadas elevações abruptas da carga da distribuidora na região da Av. Faria Lima (cerca de 36% em relação a semana passada), possivelmente em função da onda de calor na cidade de São Paulo, o que provoca redução no perfil de tensões de atendimento aos consumidores."

Segundo a Enel, concessionária responsável pela energia elétrica na cidade, a falta de luz foi ocasionada por ocorrências externas, registradas no Sistema Interligado Nacional.