Depois de 13 anos, Manaus recebe novamente a edição do TEDxAmazônia — Foto: Hariel Fontenelle/ g1 AM
1 de 3 Depois de 13 anos, Manaus recebe novamente a edição do TEDxAmazônia — Foto: Hariel Fontenelle/ g1 AM

Vanessa Hasson de Oliveira, Vitória Pinheiro, Narubia Werreria, Laurent Troost e Maickson Serrão — Foto: Divulgação

g1 esteve presente na abertura do TEDx Amazônia e conversou com o organizador do evento, Rodrigo Cunha. Ele destacou que o retorno do TEDx em Manaus acontece no momento mais crucial da crise climática que impacta o Amazonas.

"Organizamos em 2010 a edição do TEDx aqui em Manaus. E na epoca, a região estava passando por um momento bem complicado. 13 anos depois, estamos presenciando a maior seca da história, queimadas e ondas de fumaça na cidade. Isso nos leva a pensar, como estamos olhando para essa questão climática, e quais soluções devemos ter para enfrentar essa crise", ressaltou.

Rodrigo Cunha durante discurso de abertura do TEDx Amazônia em Manaus — Foto: Hariel Fontenelle/ g1 AM

Cunha relembrou um estudo de 2019 realizado por pesquisadores norte-americanos. A pesquisa avaliou o que aconteceria com o planeta se a Amazônia fosse completamente destruída.

"Não podemos permitir que a floresta seja derrubada. Em 2019, foi divulgado que se a Floresta Amazônica desaparecer, teremos cerca de 15% a 30% menos chuva no mundo inteiro. Então, imagina o impacto disso na produção agrícola e na vida das pessoas", alertou Rodrigo.

Após a abertura, o evento segue com a programação até domingo, no Armazém XV, localizado no Centro de Manaus. O g1 transmitirá parte das palestras.

TEDx

O TEDxAmazônia faz parte da mesma plataforma que já alcançou mais de 230 milhões de pessoas com as TED talks, que são conferências mundialmente famosas que reúnem ideias por meio de palestras de pensadores e líderes.