Milei fez primeiro discurso como presidente. — Foto: Luis ROBAYO / AFP
1 de 1 Milei fez primeiro discurso como presidente. — Foto: Luis ROBAYO / AFP

Milei fez primeiro discurso como presidente. — Foto: Luis ROBAYO / AFP

O presidente eleito da Argentina, Javier Milei, realizou, nesta tarde de domingo (10), o seu 1º discurso no cargo mais alto do país. Ele falou do lado de fora do Congresso, diferentemente da sua vice, Victoria Villarruel, que discursou dentro do órgão legislativo.

Em frente à escadaria do parlamento, e com a presença de seus eleitores e autoridades, Milei passou boa parte do discurso criticando a herança deixada pelos seus antecessores, e reforçando a necessidade de cortes nos gastos públicos.

Ele encerrou o seu discurso gritando o seu slogan: "Viva la libertad, carajo". O termo 'carajo' é menos pesado na Argentina que no Brasil; ENTENDA.

➡️Herança

"Nestes dias muito se falou sobre a herança que vamos receber. Que fique claro, nenhum governo recebeu uma situação pior do que estamos recebendo."

"Os argentinos, de forma contundente, expressaram uma vontade de mudança que já não tem retorno. Não há retorno. Hoje enterramos décadas de fracassos e disputas sem sentido. Brigas que só conseguiram destruir o nosso país e nos deixar na ruína. Hoje começa uma nova era na Argentina, de paz e prosperidade".

Milei também mencionou a elevada inflação do país. "Vamos lutar contra unhas e dentes para erradica-la".

➡️Ajuste fiscal

Milei disse que "a solução" para a herança deixada por governos anteriores "implica, por um lado, um ajuste fiscal (...) que, diferentemente do passado, cairá sobre o Estado e não sobre o setor privado".

"Tenho que deixar claro que não há alternativa ao ajuste fiscal", ressaltou.

"Do ponto de vista teórico, se um país carece de reputação, os empresários não investirão até que venha um ajuste".

Segundo ele, para fazer políticas gradualistas seria necessário realizar financiamentos. "E lamentávelmente tenho que dizer: No hay plata".

"Sabemos que será duro", destacou.

➡️Infraestrutura

O presidente relembrou a população em situação de pobreza, os problemas no desempenho dos alunos argentinos na educação e a situação de emergência na infraestrutura "só 16% das estradas estão asfaltadas e 11% estão em bom estado", declarou o presidente. "A situação da Argentina é crítica e de emergência", afirmou.

Eleição de Milei

O economista ultraliberal Javier Milei, do partido A Liberdade Avança, venceu Sergio Massa no dia 19 de novembro por 55% a 44%.

Economista de formação, Milei se promove como um nome de fora da política tradicional que diz querer combater o que chama de "casta política" da Argentina.

Antes de se aproximar da política, ele atuou no setor privado, trabalhando em banco e em uma empresa que administrava aposentadorias e pensões. Também chegou a atuar como economista-chefe da Fundação Acordar, ligada ao peronista e ex-candidato à Presidência Daniel Scioli.

Professor universitário, Milei só se tornou mais conhecido do público argentino ao passar a ser convidado para falar em programas de rádio e, especialmente, TV.

Em 2021, com um discurso inflamado "contra tudo e contra todos", venceu sua primeira eleição para o cargo de deputado federal por seu partido A Liberdade Avança, fundado no mesmo ano.

Costuma ser comparado por analistas políticos ao ex-presidente americano Donald Trump e ao ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

A vida pessoal de Milei se tornou assunto na campanha com a publicação de uma biografia não autorizada pelo jornalista Juan Luis González, que mostra a relação do economista com o esoterismo depois da morte do cachorro dele, Conan, em 2017.

Milei clonou o animal e procurou formas de falar com ele após a morte. Amigos e conhecidos dizem que ele também se diz capaz de falar com economistas mortos.

Hoje, são quatro cachorros, todos mastins ingleses que pesam 90 quilos, segundo a imprensa argentina: Murray, Milton, Robert e Lucas. Milei costuma dizer que ele são "seus filhos de quatro patas" e ainda se refere a Conan, como quando discursou após vencer as prévias. "Obrigado, Conan, Murray, Milton, Robert e Lucas", disse Milei em 13 de agosto.

Os nomes dos cachorros homenageiam economistas que Milei admira: Murray Rothbard, Milton Friedman e Robert Lucas. Já o nome de Conan é uma referência ao filme "Conan, o Bárbaro", de 1982.