Entidades querem analisar se decisões da justiça comum significam interferência externa no futebol

Por Martín Fernandez e Raphael Zarko — Rio de Janeiro

Nesta segunda-feira começa uma semana decisiva para o futuro da CBF. A entidade será visitada por dirigentes da Fifa e da Conmebol, que vêm ao Brasil para entender melhor a situação política da entidade. Na semana passada, Ednaldo Rodrigues foi reconduzido ao cargo de ex-presidente.

FIFA e CONMEBOL afirmam que times brasileiros pode ser punidos por problemas na CBF

FIFA e CONMEBOL afirmam que times brasileiros pode ser punidos por problemas na CBF

Segundo o ge apurou, devem vir ao Brasil o diretor de assuntos jurídicos da Fifa, Emílio Garcia (espanhol), e o gerente jurídico da Conmebol, Rodrigo Aguirre (Paraguai). Um terceiro integrante da comitiva da Fifa era Kenny Jean-Marie, outro executivo da Fifa, mas ele não virá mais ao Rio.

A duração da visita não foi confirmada, mas inicialmente era prevista entre segunda e quarta. As últimas informações dão conta, porém, que o encontro pode ser mais curto e terminar ao fim do dia desta segunda-feira.

Garcia e Aguirre pretendem ouvir dirigentes do futebol brasileiro para entender melhor se o impacto das decisões da Justiça comum significam algum tipo de violação aos estatutos da Fifa e da Conmebol.

Sede da CBF — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Em 7 de dezembro do ano passado, uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou o afastamento de Ednaldo Rodrigues e de seus oito vice-presidentes. O TJ-RJ entendeu que um acordo entre CBF e Ministério Público, celebrado em fevereiro de 2022 para definir regras eleitorais da entidade, deveria ser anulado – assim como seus efeitos.

Além de anular a eleição, o TJ-RJ determinou que um interventor (José Perdiz, presidente do STJD) deveria assumir o comando da entidade para convocar uma eleição em até 30 dias úteis.

Essa decisão foi mantida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) André Mendonça. Mas, na semana passada, num recurso apresentado pelo PC do B, o ministro Gilmar Mendes, do STF, decidiu anular a decisão do TJ-RJ.

Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF — Foto: Bruno Murito / ge

Assim, Ednaldo Rodrigues foi reconduzido à presidência e a eleição que deveria ser convocada por Perdiz resultou também cancelada. O primeiro ato de Ednaldo quando retomou o cargo foi demitir Fernando Diniz do cargo de técnico (interino) da seleção e contratar Dorival Júnior.

Em cartas enviadas à CBF no último mês, a Fifa e a Conmebol afirmaram que não reconheciam o interventor nomeado pela Justiça Comum. Mas também não passou despercebido pelas entidades que a decisão mais recente, que devolveu a presidência a Ednaldo, foi tomada num recurso apresentado por um partido político.