Decreto autoriza a adoção de medidas assistenciais para conter aumento da incidência de casos.


De acordo com a SES-MG, foram registrados 21.573 casos de dengue no estado neste ano.  — Foto: Reprodução/ TV Globo

De acordo com a SES-MG, foram registrados 21.573 casos de dengue no estado neste ano. — Foto: Reprodução/ TV Globo

O governador Romeu Zema (Novo) decretou situação de emergência em saúde pública por causa da alta incidência de casos de dengue e de chikungunya no estado. O decreto foi publicado no Diário Oficial do governo de Minas Gerais na manhã deste sábado (27).

De acordo com o texto, está autorizada a adoção de todas as medidas administrativas e assistenciais necessárias para conter o aumento de casos das doenças, em especial a aquisição de insumos e materiais para atender a situação emergencial.

O decreto já está em vigor e tem prazo de 180 dias.

"O estado é muito grande, tem climas diferentes, mas as regiões que mais nos preocupam de forma imediata são Região Central, de Belo Horizonte, e Região do Vale do Aço, sem dúvida nenhuma, é onde tem mais pacientes chegando nas unidades de atendimento", afirmou o secretário estadual de Saúde, Fábio Baccheretti.

Secretário estadual de Saúde de MG, Fábio Baccheretti — Foto: TV Globo/ Reprodução

Segundo ele, a expectativa é que em Belo Horizonte o pico ocorra no fim de fevereiro.

"Ou seja, a gente tem um prazo muito curto para se organizar, porque a dengue tem essa característica, a curva de crescimento da dengue é muito rápida", disse.

De acordo com o painel de monitoramento da Secretaria Estadual de Saúde com dados contabilizados até sexta-feira (26), foram registrados 21.573 casos de dengue no estado neste ano, uma alta de 87,75% em relação ao último boletim divulgado, na segunda-feira (22). Um óbito foi confirmado e 34 estão em investigação.

O total de casos de chikungunya chega a 5.867. Uma morte pela doença foi confirmada.