Polícia tem possível afogamento como principal linha de investigação no caso do desaparecimento do menino Edson Davi. Garoto comprou açaí com o pai poucas horas antes de sumir.

Por Felipe Freire, TV Globo e g1 Rio

Antes de sumir na Barra da Tijuca, menino pediu prancha emprestada a dono de barraca

menino Edson Davi Silva de Almeida, de 6 anos, desapareceu entre 16h30 e 17h da quinta-feira (4) na praia da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Tanto a Polícia Civil quanto o Corpo de Bombeiros fazem buscas pelo garoto desde então.

Até agora, nenhuma hipótese foi descartada, mas uma das principais linhas de investigação da polícia é de um possível afogamento. A família de Davi chegou a receber uma foto de um garoto fazendo um lanche com a informação de que o menino tinha sido encontrado.

Mãe e tia foram até o local, mas não era o menino desaparecido. A polícia tem refeito os passos do garoto em busca de pistas, veja o que se sabe:

  • 14h - garoto queria prancha: o menino vai até a uma barraca vizinha e pede prancha de bodyboard emprestada;
  • 14h30 - criança faz lanche: Davi e o pai compram açaí em quiosque;
  • 15h56 - Davi vai no calçadão: menino é flagrado indo sozinho ao calçadão em direção ao mesmo quiosque que comprou açaí;
  • 15h58 - criança retorna para areia: criança fala com funcionário de barraca vizinha a do pai e volta para a areia. Polícia acredita que ele pediu mais uma vez a prancha;
  • 16h - menino volta a jogar bola: a investigação aponta que ele voltou para a areia para jogar bola. Família confirma que antes de sumir ele estava brincando com duas crianças;
  • 16h30 - Davi aparece em foto: banhista tirou uma foto do garoto jogando bola com outros meninos, que estavam acompanhados de um homem, supostamente estrangeiro;
  • 16h50 - gringos vão embora: câmera registra que a família gringa foi embora. Davi não aparece deixando o local com eles;
  • 17h47 - buscas por Davi: pai aparece em câmera procurando pelo filho no quiosque onde eles compraram açaí anteriormente.

O dono da barraca em questão disse à polícia que o garoto queria a prancha, mas que ele negou pelo fato do mar estar muito agitado. A barraca fica localizada a cerca de 70 metros do ponto onde a criança ficava com o pai.

Segundo ele, naquela tarde o mar estava bastante agitado e com ondas grandes. Duas bandeiras vermelhas indicavam uma enorme vala naquele trecho.

Edson Davi Silva Almeida tem 6 anos — Foto: Reprodução/TV Globo

De acordo com a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) nesse mesmo dia a criança chegou a brincar sozinha na beira do mar, mas foi alertada por salva vidas que deveria se afastar da água.

A informação foi dada por um funcionário da barraca do próprio pai da criança, que chegou a alertar Davi que não era para brincar na beira d'água. Segundo ele, o menino tinha o hábito de ir sozinho ao mar.

Investigação

Através das imagens recolhidas, os investigadores descobriram que Édson saiu da barraca do pai, que fica em frente ao posto de salva-vidas, andou cerca de 100 metros pelo calçadão até um quiosque na direção do posto 5 e desceu novamente para a areia no trecho onde o funcionário ouvido trabalha. Pouco depois, o menino desapareceu.

As câmeras também ajudam a esclarecer a suspeita de sequestro em relação ao momento em que Davi brincava com outras crianças. É possível ver a família deixando a praia sem a presença do menino.

Imagens mostram menino caminhando

Câmera de segurança registrou menino de 6 anos andando no calçadão antes de desaparecer na praia da Barra da Tijuca

Câmera de segurança registrou menino de 6 anos andando no calçadão antes de desaparecer na praia da Barra da Tijuca

De acordo com a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), imagens de câmeras de segurança foram analisadas e mostram o menino caminhando pelo calçadão, por um percurso de cerca de 100 metros. Ele fala com um homem, e volta, depois, para a areia.

Os agentes continuam analisando imagens da região e ouvem testemunhas para localizá-lo. O Corpo de Bombeiros também foi acionado e realizou buscas no mar.

Edson Davi da Silva Almeida, de 6 anos, desapareceu na praia da Barra da Tijuca — Foto: Reprodução