Polícia Civil do Amazonas — Foto: Lyandra Peres/PC-AM
1 de 1 Polícia Civil do Amazonas — Foto: Lyandra Peres/PC-AM

De acordo com a Polícia Civil, em maio de 2023, o professor colocou as vítimas no colo dele, e começou a acariciá-las, beijá-las e tocar nas partes íntimas delas.

Depois que soube dos crimes, a mãe das meninas foram até a delegacia e registraram um Boletim de Ocorrência (BO) contra o professor.

“Após a denúncia, as investigações iniciaram. As vítimas foram ouvidas e tiveram todo o amparo necessário. Elas contaram para a psicóloga que, mesmo após a denúncia, o suspeito ainda tentou entrar em contato na igreja em que frequentam, bem como foi até a casa delas com o intuito de intimidá-las, proferindo ameaças”, informaram os policiais.

Depois que a Justiça decretou a prisão preventiva, o homem foi preso na Rua 7, bairro Dalila Maciel, em Maraã.

O professor responderá por estupro de vulnerável. Ele passará por audiência de custódia e ficará à disposição da Justiça.

A polícia explicou que a prática de atos libidinosos tem pena de quatro anos de reclusão, mesmo que não haja a conjunção carnal.