A Ucrânia não negou nem confirmou envolvimento no episódio. Em uma postagem no Telegram, o órgão ucraniano afirmou que a acusação russa pode ser "uma ação planejada para desestabilizar a situação na Ucrânia e enfraquecer o apoio internacional ao nosso estado".

O governo ucraniano tem adotado como praxe não confirmar nem negar ataques em território russo cuja autoria é atribuída à Ucrânia.

A aeronave transportava 74 pessoas, entre elas 65 prisioneiros ucranianos que, segundo o governo russo, seriam levados para uma troca com prisioneiros russos. O avião caiu em Belgorod por volta das 11h no horário local (5h no horário de Brasília), segundo o Ministério da Defesa russo.

Em seu comunicado no Telegram, a agência de inteligência militar ucraniana disse que uma troca de prisioneiros de guerra ucranianos e russos estava de fato planejada, e o governo da Ucrânia havia cumprido todos os termos, mas não foi informado pela Rússia sobre o número de aviões que transportavam prisioneiros e suas rotas.

"Ao mesmo tempo, o lado ucraniano não foi informado sobre a necessidade de garantir a segurança do espaço aéreo na área da cidade de Belgorod em um determinado período de tempo, como ocorreu repetidamente no passado", diz a agência.

A Ucrânia também põe em dúvida a presença de prisioneiros no avião: segundo o jornal Ukrainska Pravda, uma fonte militar informou que havia mísseis na aeronave.

A agência de notícias russa RIA, citando a pasta da Defesa, disse que radares da Rússia detectaram o lançamento de dois mísseis ucranianos. O ministério acusou a Ucrânia de ter derrubado a aeronave e chamou a queda de um "ato de barbárie".

Sem confirmar nem negar autoria na queda do avião, o Serviço de Inteligência das Forças Armadas da Ucrânia afirmou ainda não ter informações "confiáveis" sobre quem estava dentro do avião, mas confirmou que havia uma troca de prisioneiros com a Rússia prevista para esta quarta-feira.

O ex-presidente russo Dmitry Medvedev, aliado de Vladimir Putin, afirmou, sem fornecer provas, que as Forças Armadas ucranianas sabiam se tratar de uma aeronave com passageiros nacionais, mas a derrubou mesmo assim por conta de "lutas internas".

Em um vídeo feito por um morador de Belgorod que registra o momento da queda (veja vídeo acima), é possível ver uma pequena nuvem de fumaça no ar após o avião cair e explodir em solo.

Um especialista em aviação afirmou à rede britânica BBC que a nuvem de fumaça registrada é compatível com a produzida por mísseis após sua explosão (veja na imagem abaixo). Em sessão no Parlamento russo, em Moscou, o deputado Andrei Kartapolov, ex-general da Forças Armadas russa, afirmou que a aeronave foi derrubada por mísseis.

Nuvem de fumaça é vista após queda de avião na Rússia. — Foto: Reprodução/Reuters

A acusação acirra ainda mais as tensões entre Ucrânia e Rússia, em um momento de escalada de ataques russos na guerra entre os dois países, que já dura quase dois anos.

Desde o fim de dezembro, tropas russas têm bombardeado alvos civis em grandes cidades da Ucrânia , segundo autoridades ucranianas. Os ataques contrastam com o cenário da guerra no país ao longo de 2023, com ações mais concentradas nas frentes de batalha.

Além dos 65 ucranianos, a aeronave levava também seis membros da tripulação e outras três pessoas, que não haviam sido identificadas até a última atualização desta reportagem.

Avião militar com prisioneiros ucranianos cai na Rússia. — Foto: g1

O avião caiu por volta das 11h no horário local (05h no horário de Brasília) em uma área residencial do distrito de Korochansky, a nordeste da cidade de Belgorod, ainda segundo o governador de Belgorod. O governador não afirmou se casas ou moradores foram atingidos com a queda.

Segundo a imprensa russa, um segundo avião também levando ucranianos para a mesma troca de passageiros, mas a aeronave conseguiu desviar da rota e segui voo.

O avião é do modelo Ilyushin Il-76, designado para o transporte militar de tropas, carga, equipamentos militares e armamentos. Tem uma tripulação de cinco pessoas e pode transportar até 90 passageiros.

Avião militar com prisioneiros ucranianos cai na Rússia, e 74 morrem. A aeronave levava 65 prisioneiros ucranianos. — Foto: Reprodução/Reuters

Troca de prisioneiros

Ucranianos que ficaram presos pelo exército russo ao serem libertados, em 3 de janeiro de 2023 — Foto: Divulgação/Exército da Ucrânia/Via Reuters

Após meses de impasses no campo diplomático e no front de batalha, Ucrânia e Rússia voltaram, em janeiro, a fazer troca de prisioneiros de guerra.

Rússia faz ataque massivo a várias regiões da Ucrânia

Rússia faz ataque massivo a várias regiões da Ucrânia