O brasileiro Wesley Guilherme Farias, de 25 anos, está há quase uma semana preso em Londres, suspeito de causar um incêndio em um prédio residencial no distrito de Kensington, uma das áreas mais nobres da capital do Reino Unido. Natural do Amazonas, ele está na cidade britânica há cerca de quatro anos, segundo a família, que ainda busca por respostas sobre o ocorrido.

A polícia britânica identificou que o amazonense não tinha residência fixa em Londres e o incêndio iniciou no apartamento onde ele estava morando.

O Corpo de Bombeiros de Londres informou que o incêndio ocorreu no dia 1º de março em uma casa geminada de cinco andares, convertida em vários apartamentos, perto do Museu de História Natural.

Sete policiais e seis moradores inalaram fumaça durante o incidente. Todos foram levados ao hospital e já tiveram alta. Ninguém sofreu ferimentos mais graves, conforme a Polícia Metropolitana de Londres.

Os bombeiros informaram, ainda, que 130 moradores da propriedade e de residências vizinhas foram retirados dos imóveis por segurança.

Incêndio em prédio residencial em Londres — Foto: Corpo de Bombeiros de Londres

Incêndio em prédio residencial em Londres — Foto: Corpo de Bombeiros de Londres

Para polícia britânica, o incêndio está sendo tratado como suspeito e, no domingo (3), Wesley foi preso apontado como responsável de ter iniciado o fogo no apartamento onde estava alojado. As circunstâncias do incidente ainda não foram esclarecidas.

No dia seguinte, Wesley Guilherme Farias, sem domicílio fixo, foi acusado de incêndio criminoso com intenção de colocar a vida em risco, informou a Polícia Metropolitana de Londres.

Ainda segundo a policia local, Wesley compareceu sob custódia no Tribunal de Magistrados de Westminster, na segunda-feira (4). Ele deve permanecer preso enquanto o julgamento e um eventual recurso são preparados. O julgamento deve acontecer na Isleworth Crown Court, no dia 3 de abril.

Família sem respostas

Procurada pelo g1, uma parente de Wesley, que pediu anonimato, relatou que a família segue buscando respostas sobre o caso. Amigos do amazonense em Londres que têm ajudado com algumas informações, muitas ainda desencontradas.

"A gente não tem muito o que fazer, não sabemos dele. Só sabemos que ele está preso, ele não entrou em contato com ninguém da família. Amigos próximos dele em Londres que estão mandando informações pelas redes sociais. Um desses amigos disse que o Wesley falou para polícia que o incêndio não foi proposital" , disse a familiar.

Ela explicou, ainda, que Wesley estava na Europa há quatro anos, onde trabalhava para ajudar a irmã mais nova que mora em Eirunepé, no interior do Amazonas.

"O Wesley é um ser humano surreal, ele ajudava a irmã dele devido eles serem órfãos de mãe e pai. É um menino trabalhador que nunca teve esse tipo de coisas aqui em Manaus, nem na terra dele", disse.

Itamaraty acompanha o caso

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou apenas que permanece à disposição, por meio do Consulado-Geral do Brasil em Londres, para prestar a assistência consular cabível ao cidadão brasileiro.