A Polícia Federal prendeu, neste domingo, os irmãos Domingos Brazão e Chiquinho Brazão, suspeitos de serem os mandantes, junto com Rivaldo Barbosa, o ex-chefe de polícia civil do RJ, que teria prometido não andar com as investigações.


Chiquinho Brazão, Domingos Brazão e Rivaldo Barbosa, acusados de mandar matar Marielle Franco — Foto: Reprodução

Chiquinho Brazão, Domingos Brazão e Rivaldo Barbosa, acusados de mandar matar Marielle Franco — Foto: Reprodução

A Polícia Federal já apresentou relatório do caso Marielle, e a denúncia do Ministério Público Federal contra os suspeitos de serem os mandantes deve vir em cinco dias.

Salvo alguma surpresa, a expectativa é que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, relator do caso, levante o sigilo nas próximas horas.

A PF apresentou o relatório ao STF na quarta-feira (20), um dia após o anúncio da homologação do acordo de delação do miliciano Ronnie Lessa, suspeito de ser o autor dos disparos.

A PF aguarda somente o resultado das buscas deste domingo (24) para avaliar se haverá algum tipo de desdobramento. Foram apreendidos celulares, computadores e alguns documentos.

Mais cedo, a Polícia Federal prendeu os irmãos Domingos Brazão e Chiquinho Brazão, suspeitos de serem os mandantes, junto com Rivaldo Barbosa, o ex-chefe de polícia civil do RJ, que teria prometido não andar com as investigações.

A prisão é parte da Operação Murder, deflagrada pela PF em conjunto com a Procuradoria-Geral da República e Ministério Público do Rio de Janeiro.

Mais sobre o caso:

César Tralli detalhou bastidores da delação de Ronie Lessa à Natuza Nery.

Plantão Globo: Chiquinho e Domingos Brazão são presos suspeitos de mandar matar Marielle

Plantão Globo: Chiquinho e Domingos Brazão são presos suspeitos de mandar matar Marielle