Veículos do transporte alternativos na Zona Leste de Manaus — Foto: Adneison Severiano/G1 AM
1 de 1 Veículos do transporte alternativos na Zona Leste de Manaus — Foto: Adneison Severiano/G1 AM

Veículos do transporte alternativos na Zona Leste de Manaus — Foto: Adneison Severiano/G1 AM

A Prefeitura de Manaus prorrogou até o dia 29 de fevereiro de 2024 o prazo para os micro-ônibus alternativos e executivos rodarem em Manaus. O decreto foi assinado pelo prefeito David Almeida na sexta-feira (22).

O contrato com os permissionários dos veículos encerrou em outubro, no entanto a administração municipal ainda não concluiu o processo de contratação dos novos licenciados.

Na quinta-feira (21), a prefeitura chegou a divulgar uma lista com mais de 400 pessoas que foram habilitadas para prestar o serviço no próximo ano. No entanto, o processo de habilitação ainda não chegou ao fim.

Sendo assim, a prorrogação do prazo considerou a necessidade da manutenção e fiscalização dos modais temporários e já está em vigor, conforme o decreto municipal.

"Os modais extintos, alternativo e executivo, operarão temporariamente até o dia 29 de fevereiro de 2024 e se sujeitarão às infrações e penalidades administrativas constantes na Lei nº 2.898 de 9 de junho de 2022", decretou o prefeito.

Alternativos em protesto

Na última semana, os donos de alternativos que rodam na capital, fizeram uma manifestação cobrando da prefeitura o repasse de subsídios destinados ao transporte gratuito de estudantes. Segundo o grupo, o Município deixou de efetuar o pagamento de novembro.

Após uma reunião com a Prefeitura de Manaus, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) efetuou o repasse de R$ 600 mil para as associações que fazem parte do sistema e a paralisação foi encerrada.

O protesto durou dois dias.