Rajadas ultrapassaram 150 quilômetros por hora, de acordo com um comunicado do gabinete do presidente Javier Milei, e ocorreram no sul da província de Buenos Aires, onde está localizada a capital argentina.


Por Reuters

Tempestade deixa 13 mortos na Província de Buenos Aires

Uma tempestade com ventos fortes no sul da província de Buenos Aires, onde está localizada a capital argentina, deixou pelo menos 13 pessoas mortas neste sábado (17), segundo as autoridades.

A área mais atingida foi a cidade de Bahia Blanca, distante 650 km da capital argentina, onde várias pessoas também ficaram feridas por causa de telhados arrancados, informou o governo municipal no X, descrevendo o ocorrido como uma "catástrofe".

"Com grande pesar, 13 vítimas fatais foram confirmadas até o momento. Pedimos à comunidade que tome extremo cuidado e não circule nas vias públicas", acrescentou o prefeito do município, Federico Susbielles, em sua conta na mesma rede social.

A imprensa argentina relata que a maior parte das vítimas fatais participava de um evento esportivo no Club Bahiense del Norte, quando o teto do estabelecimento desabou. O clube publicou uma mensagem de luto em sua página no Instagram.

Com roupa que remete a uniforme militar, o presidente Javier Milei foi a Bahia Blanca acompanhar o trabalho das equipes, de acordo com publicações de seus auxiliares nas redes sociais.

A tempestade atingiu também aeroportos. O Aeroparque Metropolitano Jorge Newbery, localizado na cidade de Buenos Aires, ficou danificado. A concessionária afirma que o terminal chegou a ficar fechado até o início da manhã deste domingo por segurança, mas foi reaberto por volta das 10h.

O vento causou a queda de árvores, postes, fios e placas na rua e conseguiu mover aviões que estavam parados dentro do aeroporto.

As rajadas de vento ultrapassaram 150 quilômetros por hora, de acordo com um comunicado do gabinete do presidente Javier Milei nas redes, o que equivale à velocidade do vento de um furacão de categoria 1.

"Nesse momento, o Gabinete Nacional está trabalhando em conjunto com as autoridades provinciais e municipais na assistência às vítimas e no controle de danos", acrescentou o gabinete de Milei, que expressou suas condolências às vítimas e suas famílias.

Em Moreno, a 40 km de Buenos Aires, uma mulher morreu ao ser atingida por um galho de árvore, segundo fontes policiais.

Os ventos foram causados "por uma grande massa de ar quente e úmido prévia ativada pela passagem de uma frente fria", mas sem relação específica com o fenômeno El Niño, explicou o meteorologista Leo Deenetis.

O governo da província de Buenos Aires informou em seu site que presta assistência e apoio a 40 distritos. Bahía Blanca deve receber o primeiro carregamento de materiais, incluindo colchões, cobertores, roupas, calçados, materiais de limpeza, tambores de água e alimentos.

Aeroporto Metropolitano Jorge Newbery foi danificado durante a passagem da forte tempestade — Foto: Reprodução/Metra Argentina

No bairro de Palermo, seis pessoas ficaram feridas durante a madrugada na festa Bresh, que acontecia no clube Geba, onde o palco principal cedeu, informou o serviço público de emergências. Outras 14 pessoas foram atendidas depois que tendas voaram durante um evento realizado no Hipódromo.

"Nunca vi nada assim, isto é um cemitério de árvores caídas e carros destruídos", descreveu o morador Sergio Zárate, 37. A escultura metálica móvel Floralis Genérica, atração turística de Palermo, perdeu uma de suas pétalas gigantes.

Mortes no Uruguai

No Uruguai, duas pessoas morreram na madrugada de domingo no departamento de Colonia, afetado pela queda de árvores e telhados, causada por ventos de mais de 167 km/hora, segundo o Instituto Uruguaio de Meteorologia (Inumet).

Bombeiros reportaram mais de 150 emergências atendidas em Montevidéu e no restante do país, com danos a residências, veículos e à rede de saneamento, segundo a imprensa local.