Hospital Regional Dr. Jofre Matos Cohen, de Parintins. — Foto: Jean Beltrão/Rede Amazônica
1 de 1 Hospital Regional Dr. Jofre Matos Cohen, de Parintins. — Foto: Jean Beltrão/Rede Amazônica

Hospital Regional Dr. Jofre Matos Cohen, de Parintins. — Foto: Jean Beltrão/Rede Amazônica

Dois casos da febre Oropouche foram registrados no município de Parintins, interior do Amazonas, na terça-feira (9). Os casos são importados já que as infecções não teriam ocorrido na ilha, segundo a Secretaria de Saúde do município.

A febre Oropouche é transmitida por um mosquito quase imperceptível a olho nu, chamado de maruim ou meruim. Os sintomas da febre são parecidos com arboviroses, como a dengue e a chikungunya.

Os casos da febre foram confirmados pela Secretaria de Saúde de Parintins na terça (9), após exames feitos no Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas.

De acordo com a secretaria, os dois pacientes infectados deram entrada no Hospital Jofre Cohen com sintomas parecidos com a dengue. Ainda de acordo com o órgão, os dois receberam tratamento e passam bem.

Os casos são os primeiros registrados na ilha, mas as infecções não teriam ocorrido no munícipio.

"O município de Parintins identificou esses dois casos e são casos importados, justamente pessoas que vieram para Parintins para as festas de fim de ano, férias. Uma é do município de Manicoré e outra do município de Manaus, a gente já tem a circulação viral no Amazonas", disse a coordenadora municipal de Vigilância em Saúde, Elaine Pires.

O inseto transmissor da febre é quase imperceptível. O merium é encontrado frequentemente em áreas de mata e a beira de rios e lagos da região. Na cidade, em área urbana, também aparece em área com terrenos baldios e em acúmulo de lixo.